Hoje eu vou falar um pouquinho sobre o primeiro livro da trilogia A escolhida, da jovem autora Amanda Ághata Costa. Sua primeira obra, um romance fantástico que conquistou muitos leitores. A autora foi extremamente simpática comigo e com o blog, e com isso, já conquistou um lugarzinho em meu coração!


Eu já tinha visto a capa do livro, que, diga-se de passagem, é muito linda, e vi muitos comentários positivos à obra. Fiquei super feliz de ter tido a oportunidade de lê-la, e constatar a história da jovem Ari. Vou tentar ao máximo não desvendar o enredo do livro, mas sim, o que eu extraí da leitura. A história realmente me encantou, e o leitor merece ser surpreendido por ela.





Ariali foi abandonada pelos pais quando ainda era uma criança, passou a infância e a juventude cultivando essa mágoa. Seu lar era as ruas, muitas pessoas a desprezavam e a chamavam de aberração. Sua vida começa a mudar, quando Lina, uma mulher muito doce e bondosa a acolhe, lhe oferecendo um lar e muito amor. Tudo deveria estar caminhando para a felicidade, porém, Ari não é nada parecida como as outras pessoas.

“Era Lina o nome daquela mulher. Ela me tomou em seus braços e sussurrou para que eu não tivesse medo, pois a partir daquele instante, iria me oferecer um lar.”

Com o passar dos anos, Ari se torna uma pessoa solitária e extremamente fria. Nenhum dos sentimentos ensinados por Lina prevalecem na jovem. Ela se considera inatingível e inabalável, uma verdadeira rocha, como ela mesma diz ser.

“Sou o nada e o tudo, um meio termo. O amor não me petrifica, o perdão não é acumulado em minha carne e as emoções não invadem meu coração. Sou a própria rocha.”

Ela sente prazer em tirar a vida de outras pessoas, ela sente sede de sangue. Ari usa de sua beleza e do seu poder de hipnose para atrair suas presas e em seguida matá-las.

“Os assassinatos foram acontecendo com naturalidade e, do dia para a noite, tudo mudou. Eu passei a matar para aliviar minhas frustrações, para comemorar as raras vitórias, para afastar o tédio e, até mesmo, para conseguir sobreviver. A necessidade que era um passatempo, logo se tornou parte de uma rotina.”

Em um dia que deveria ser rotineiro, a história de Ari muda completamente, quando é abordada por dois rapazes, que ela vem a descobrir que são magos: o prepotente Edlun e o misterioso e encantador Luke. Os dois são mandados pelo Mestre Egran, para levá-la para um lugar chamado Círculo.

O Círculo é uma comunidade, o lar onde vivem os magos. Um dia esta foi uma morada de paz e harmonia, porém tudo mudou, quando Egran assumiu o comando. Com isso, ele usa de sua hierarquia e o poder, para manipular todos os magos do Círculo, utilizando do dom de cada um para colocar em prática suas vontades. E não é diferente com Ari, ele quer se beneficiar de seus poderes e sua destreza com assassinatos.

Egran não mede esforços para atingir seus objetivos, e assim, obriga Ari a permanecer no círculo, atendendo a seus caprichos, com o pretexto de desvendar sua descendência e responder todas as perguntas que a rondaram durante toda a sua vida.
 
A partir desse momento somos sugados para dentro da história de tal forma, que é impossível parar de ler. A leitura é regada de muitos mistérios, e junto com Ariali, passamos a desvendar todos os segredos que cercam a jovem, e começamos a entender junto com ela cada ponto até então incompreendido.

Sua vida que outrora era unicamente feita de solidão e mortes, agora começa a tomar um rumo novo, onde a alegria, o companheirismo e principalmente o amor estão presentes. Porém nada são flores, e muitos magos continuam rejeitando-a, como muitos fizeram ao decorrer de sua vida. 

“E todos sempre se afastam. Todos sempre insistem em se afastar, porque eu os assusto. Eu nunca quis assustá-los.”

Ariali é um personagem incrível! Ela é forte, determinada e corajosa. Mesmo carregando mágoas profundas, e muito preconceito, ela se mantém de pé. Além disso, não leva desaforo para casa, encara de frente qualquer obstáculo que aparece em seu caminho. Ao decorrer da leitura, eu me vi totalmente na pele da personagem. Ari crê que não tem nada bondoso em sua alma e coração, e faz questão de deixar isso bem claro. Mas por trás de toda essa armadura, existe uma menina que quer ser lembrada, cuidada e amada, mas que simplesmente não enxerga isso – ou fingi que não enxerga.

“- Você me fez falta. Você fez falta pra todo o circulo, Ari.
Meus olhos umedecem ao pensar que sentiram minha falta. É a primeira vez que acontece e, lá no fundo, eu torço para que não seja a última.”.

A autora conseguiu transmitir com essa personagem, que não existe alguém que é totalmente mau, ou totalmente bom. Os dois habitam dentro de cada um, duelando constantemente, e quem tem o poder de determinar qual o caminho que será traçado é unicamente nós mesmos. Ari também nos mostra que o amor é capaz de mudar qualquer indivíduo ou situação. Eu acredito fielmente no poder do amor, e é exatamente por isso, que as mudanças que vão acontecendo na vida de Ariali foram tão emocionantes para mim.   

“Estou com medo, e é a primeira vez que sinto isso em dezoito anos. É a primeira vez que sinto inúmeras coisas as quais desconhecia.”

“O demônio se encontrava acima do anjo, e o anjo acima do demônio.”

Outros personagens que foram essenciais na trajetória da personagem e em seu florescimento foram: a impertinente Vincy, a doce Tay e o bondoso – e príncipe – Luke.
O feiticeiro conseguiu de mansinho entrar no coração de rocha de Ari, e a fez se surpreender com um novo sentimento, um totalmente desconhecido para ela, o amor. 

Luke é um rapaz do bem, carinhoso, centrado, amigo e protetor, principalmente de sua irmã, que é a sua única família. Ele é o primeiro a enxergar que Ariali é capaz de mudar, e que existe luz no seu interior, que nem ela mesma enxerga.

“O seu coração não é negro da forma que pensa, Eu pude ver a sua luz e não há nada que faça apagá-la.”

O livro é narrado na primeira pessoa, onde conhecemos o ponto de vista de Ariali, mas conseguimos notar a característica distinta de cada personagem. A escrita da Amanda é sensacional, ela consegue deixar a leitura leve, e ao mesmo tempo usar uma narrativa marcante, forte e super intensa. O enredo é envolvente, dosando aventura, mistérios, o poder da amizade e da união e uma linda história de amor. Tudo de maneira concisa e na medida certa. A história foi se desenvolvendo com maestria, mostrando os altos e baixos da Ari e os mistos de emoções que a personagem enfrenta, como a negação e a aceitação. No livro você vai entrar um mundo de magos, anjos, vampiros, fadas...  

A história termina com algumas pontas soltas, que serão desvendadas nos próximos livros. Os quais eu não vejo a hora de ler. Acho que não preciso dizer que o livro me cativou, né?! Rs Indico o livro para qualquer pessoa que queira mergulhar em um mundo de mistérios e descobertas, amor e amizade, poder e ganância, morte e vida, e acima de tudo, a benevolência do perdão. Tudo isso marcado com uma escrita de primeira. Uma obra que merece ser lida, com toda a certeza. 

Gostaria de deixar aqui registrado, o meu agradecimento a Amanda, que deu ao blog a oportunidade de conhecer essa história que me ganhou logo na capa. Muito obrigada pela simpatia e carisma! Muito sucesso para você, SEMPRE!


***

A autora
Amanda Ághata Costa nasceu em 21 de Outubro de 1993, numa pacata cidade do interior de Santa Catarina. Estudante de Pedagogia e amante das palavras desde a infância, jamais imaginou que um dia sua voz seria ouvida. Com papel e caneta em mãos, espera poder tocar as pessoas com suas histórias, fazendo-as vibrar e amar cada fragmento das mesmas. De todas as coisas do universo, se aventurar nos mares da fantasia é sua maior paixão. A trilogia A Escolhida é seu romance de estreia.

 Siga a autora:

Leia o primeiro capítulo da A Escolhida AQUI.

Adquira o E-book AQUI.

***
Até a próxima!

Dai



14 Comentários

  1. Owwwwwmmmmm, borá ler?
    Parabéns Dai, arrasou mais uma vez
    E sucesso pra Amanda

    ResponderExcluir
  2. Olá! Adorei sua resenha, ficou muito boa. Parabéns! Achei o enredo da obra bem interessante. Também gostei que os personagens não são totalmente bons ou ruins. Acho isso essencial, já que traz veracidade e causa identificação. Fiquei com vontade de conferir a leitura ;) Beijos

    ResponderExcluir
  3. A capa do livro é muito linda. E é a primeira resenha que vejo, já gostei. Acho que será um sucesso, por alguma razão, enquanto lia a resenha, só conseguia lembrar de Entrevista com o Vampiro, não sei pq, não estou dizendo que é igual, mas o filme veio a cabeça.
    http://www.poesianaalma.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oie!!
    tenho certeza de já ter visto esse livro em outro lugar, só não lembro onde mas, primeiramente a capa é lindíssima e a história me parece ser muito boa fiquei imensamente curiosa, aliás adorei sua resenha ;) beijão*..*

    http://notinhasderodape.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oláá
    Já ouvi falar bastante do livro pelos blogs e sempre tive curiosidade, espero mesmo ler em breve e gostar, a edição está fantástica e adorei o enredo, a autora arrasou ;)

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Dai, adorei a resenha e a história do livro, achei bem intrigante o comportamento da personagem e adorei a pessoa que ela encontra que chama Lina, nome da minha avó e ela tem essas características! Parabéns pela resenha e a autora pela obra! Bjkas

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem?

    Uau! Gostei da história, parece bem interessante e empolgante. Haha. Esse inicio com sede de sangue, me deixou super curiosa. A capa é linda. Por acaso a menina da capa,se parece com a protagonista do livro?
    Adorei a resenha, e espero ler em breve esta trilogia.

    beijos

    http://livrosfilmeseencantos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. A capa é linda! Eu já havia visto em algum lugar, mas não tinha lido resenhas. A modelo da capa me lembra a Sookie da série True blood.
    Outro ponto que me atraiu, pela sua resenha, foi o fato de o livro trazer personagem complexos, sem maniqueísmo. Esse negocio de personagens totalmente bons ou totalmente ruim não me agrada.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. A capa logo chama atenção,curiosa para a leitura.
    Bjs
    eternamente-princesa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Ola lindona o tema sobrenatural já me chama atenção, com essa capa linda e sua resenha me falando dessa rede de mistérios já me ganhou. Gostei de saber que a protagonista é marcante e forte. Irei ler com certeza. beijos

    Joyce
    www.livrosencantoa.com

    ResponderExcluir
  11. Romances fantásticos normalmente não me atraem tanto a primeira vista, mas eu gostei da sua resenha, acho que é um livro que também pode me cativar.

    laoliphant.com.br

    ResponderExcluir
  12. Eu li e amei esse livro! Ele foi uma surpresa tão boa, sabe?

    Comecei o livro meio com pé atrás... Não sei se por ser fantasia, ou pela autora ser nova.... Sabe como é, momento preconceito literário deu uma baixado em mim, mas não ficou. A escrita da Amanda foi derrubando cada uma das minhas barreiras e me envolveu de forma tal que terminei a leitura em dois tempo.

    Achei criativa, bem amarrada (apesar de uma única ponta ter ficado solta, todas as outras foram amarradinhas), envolvente, instigante.

    Super ansiosa pela continuação.

    Mari

    http://conchegodasletras.blogspot.com.br/2015/05/resenha-escolhida.html

    ResponderExcluir
  13. Oiee, tudo bem?

    Eu tenho muita curiosidade em ler esse livro. Gosto de livros de Fantasia e acompanho o trabalho da Amanda pelo facebook. Bom saber que você gostou da leitura. Espero me apaixonar pela história também.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oii!!
    Já vi que vou amar esse livro! Adorei a resenha, me deixou bastante curiosa em relação ao livro!
    Beijos
    http://livrosemarshmallows.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir