O livro Dono de mim, da autora Katherine Laccom't, foi enviado ao blog pela Métrica para resenha. Bom, a indicativa do livro é um romance hot, e amo romances, e se for hot, melhor ainda (me julguem!). Mas claro, dentro do contexto, e sem ser 90% do livro, e tem que ter uma história que envolva e faça sentido. Quando li a sinopse, fiquei atraída, mesmo abordando o BDSM. Não tenho nada contra o tema, mas para mim já ficou saturado, e com isso alguns livros se tornam “o mais do mesmo”. Mas, me joguei no livro e esperei ser surpreendida.

Sei que muitas pessoas quando leem que o livro retrata o BDSM logo pensa: “mais uma cópia do 50 tons de cinza”, ou “Ihhh lá vem porrada”, ou até “se fosse na vida real tenho certeza que a mulher não iria aceitar essas coisas”. Existe muito mais por trás dessa prática, que para muitos é um estilo de vida, do que você pode imaginar. A autora abordou bem o assunto, e introduziu bastantes termos usados no DBSM, alguns que eu ainda não tinha lido em outro livros. Deu pra perceber que ela fez um estudo bem detalhado.

Mas vamos aos personagens...


Rodrigo tem 38 anos, é CEO da Construtora Alcântara & Castro LTDA, uma empresa que construiu sozinho, sem a ajuda dos pais. Vem de uma família de “berço”, mas que não o apoiou quando mais precisou. Sua mãe é literalmente uma mala sem alça, que quer mandar na vida do filho. Seu irmão Arthur é seu braço direito na empresa e seu melhor amigo. Rodrigo é um Dom, um mandão, o “fodão”, que tem todas as mulheres a seus pés. Ele é um pouco arrogante, mas é uma pessoa de bom coração. Não quer nenhum relacionamento, e não se prende a ninguém, e suas relações e limitam ao D/S (Dominador / Submissa). Em vários momentos eu detestei esse personagem, principalmente quando sua mãe se metia na vida dele, e ele acatava suas ordens como se tivesse 8 anos, não como um homem que já está quase na casa dos 40. Ele também é bastante cabeça dura, e alguns momentos eu queria dar umas sacudidas para ver se ele acordava para a vida, mas em outros eu queria consolá-lo e guiá-lo.


"Não sou fraco, também, não sou forte o suficiente para negar meus instintos."


Manuela é a vice-presidente da Ideal’s Auditoria & Consultoria em Gestão Empresarial S/A, e é uma workaholic assumida. Ela é uma excelente profissional, a melhor do ramo, e comanda com braço de ferro. É conhecida por muitos como General ou Ice Queen. Por fora tem um escudo inabalável, é forte, determinada, guerreira e não leva desaforo para casa, mas por dentro tem uma alma submissa. Sim, apesar de toda essa fortaleza e atitude, na cama ela é uma submissa de corpo e alma. Quando esses dois se encontram é um duelo de gigantes, e não demora muito para que se rendam uma atração avassaladora. Porém, muitos empecilhos aparecem para separá-los, entre eles as próprias atitudes, medos e imaturidade dos personagens.


“Forte como uma muralha, tão frágil quanto uma rosa.”


Confesso que em algumas partes o livro de tornou maçante para mim, ele conta com muitos diálogos e “idas e vindas”, e alguns momentos me vi confusa. Os personagens secundários também são bem vistos no livro e me agradaram bastante. Me peguei mais envolvida no enredo lá pelo final, quando começou a ter mais ação e atitudes. A Manu é uma personagem forte e adoro isso. Ela passa longe do estereótipo Anastácia do Cinquenta tons de cinza, ela é bem resolvida e sabe o quer. O Rodrigo é o famoso TDB, mas para mim deixou a desejar em alguns aspectos, porém me surpreendeu no final. Outra coisa que achei diferente, foi que os personagens não tinham tabu, era tipo: “conheça a minha amiga, ela é submissa”. Tanto a família quanto os amigos, adeptos ou não da prática, conversavam normalmente sobre esse assunto. Nunca tinha lido um livro que os personagens não tentavam esconder o que faziam, aqui a maioria dos amigos são adeptos e falam com a maior naturalidade. 


"Pequena, há três maneiras de fazer algo:
O jeito certo, o jeito errado e o meu jeito!"


Por fim, esperava um pouquinho mais do livro, como disse logo no início, a sinopse me atraia muito. Porém em alguns momentos o enredo esfriou e se prolongou demais. Mas mesmo assim foi uma leitura super válida. Achei os últimos capítulos fantásticos, assim como o epílogo, o Rodrigo começou a lutar pelo o que queria, e para mim isso deveria ter acontecido lá pela metade do livro. Ah! Não posso me esquecer de uma cena que eu achei linda e emocionante, um casamento no estilo DBSM, a Cerimônia das Rosas. A cena é incrível, assim como o ritual em si. A cerimônia é cheia de simbolismo, onde o casal sela a sua vontade de permanecer juntos por toda a vida e a autora foi super detalhista, retratou perfeitamente. Se você gosta do gênero, gosta de mocinhas fortes, mocinhos cabeça-dura, possessivo e quente como o inferno, esse é prato cheio. E depois que ler, vem aqui deixar o seu comentário, vou adorar saber o que achou.



"A partir de hoje, sou Manuela Vasconcelos Alcântara e Castro. Menina, submissa, serva de Mestre Rodrigo Alcantâra e Castro. Dono de mim!”



O livro está disponível em formato E-book, a venda na Amazon.

Até a próxima!
Dai


3 Comentários

  1. Oi Dai, oi meninas!
    Amei a resenha. Eu gosto bastante dessa temática, mas como você falou, acaba ficando o mais do mesmo.
    Me interessei pelo livro, por alguns aspectos que vc falou. Vou ler e depois volto com minha opinião, viu?! kkkk
    bjks

    ResponderExcluir
  2. Hey!

    Gostei bastante da resenha, gosto da sua sinceridade, esse negócio de ficar passando a mão só pq é parceiro é feio. Parabéns! Eu gostei bastante da sinopse e fiquei curiosas com algumas coisas que vc deixou no ar... gosto muito do tema, vou comprar e ver o que eu acho.
    Beijinhos <3

    ResponderExcluir
  3. Oi! Eu li o livro e amei! Apesar do Rodrigo dar umas mancadinhas, ele é TDB mesmo! hhahahha
    Gostei muito da resenha, parabéns!

    Bjus da Amandinha! ;)

    ResponderExcluir