Este romance conta uma incrível história de amor entre um francês e uma descendente de indígenas tupi-guarani. Esse grande amor é brutalmente interrompido para ressurgir com todas as forças depois de 272 anos. Uma parte desse caso de amor se passa no município de Carvalhos, no Estado de Minas Gerais, no ano de 2013. A outra parte se passa no Arraial dos Franceses, na Capitania de Minas Gerais, no século XVIII. (...) O “Mon Journal”, um estranho diário, desaparece misteriosamente no ano de 1741, no Arraial dos Franceses, para ser encontrado apenas no ano de 2013 em Carvalhos. Tal diário é o elo que esclarece a relação entre os dois casais de épocas tão distantes e tão diferentes. Há, ainda, um estranho ser que os acompanha durante todo o desenrolar da narrativa. Um ser não visível, mas que lhes causa grandes apreensões.



Onde Comprar:
Amazon  Casas Bahia   Cia dos Livros  Ponto Frio  Extra   Livraria Cultura  Livraria Travessa   Saraiva   Submarino 





“Se você não existisse, diga-me por que eu existiria”

É tão bom quando um livro nos surpreende, não é mesmo?! Eu amo me surpreender com uma leitura! E foi exatamente assim que eu fiquei ao ler “O Francês” do autor nacional Daniel de Carvalho, lançado pela editora Pandorga. Comecei a leitura com um pé atrás, reconheço, mas ele me conquistou aos pouquinhos e no fim, eu já estava mais do que rendida. O livro tem uma trama envolvente que a cada novo capítulo, me deixou na gana de tentar desvendar todos os seus mistérios. Um romance que conta uma história de amor delicada, intensa e forte o suficiente para resistir ao tempo e as perdas.

“O Francês” narra duas histórias, em dois tempos diferentes. O livro intercala entre o presente e o passado, sendo uma parte passada no século XVIII, no Arraial dos Franceses, na Capitania de Minas Gerais, e a outra parte se passa no ano de 2013, no Município de Carvalhos, no Estado de Minas Gerais. Apesar do livro relatar dois tempos distintos, a narração não ficou nem um pouco confusa. Na verdade, elas se complementavam e juntas, nos revelavam os mistérios de ambas.

“(...) o fogo da paixão começava a se fazer sentir. E tal paixão, juntando-se com o bem-querer, fazia nascer um grande amor de intensidade inimaginável.”

No passado, conhecemos o casal Yara e Adrien. Ele, um francês que chegou ao Brasil com cinco anos de idade acompanhado seus pais Rogê e Nicole, para tentarem a vida em um continente diferente. Ela, uma descendente de indígenas tupi-guarani, filha da índia Iraci e do português Borba. Yara e Adrien se conhecem ainda criança, e é durante a adolescência que descobrem o primeiro amor. Um amor puro que foi brutalmente interrompido, mas que foi jurado por toda a eternidade. No presente, conhecemos Karina e Jean, dois jovens que se conhecem por intermédio dos amigos Samira e Alaor. Já no primeiro instante em que se vêem, eles sentem uma conexão surreal. Jean mora em São Paulo e veio visitar o amigo que mora em Carvalhos, Minas Gerais. Durante uma visita a casa de Karina, Jean conhece a linda biblioteca que a avó da moça possui, e lá eles encontram um diário nunca visto ali, intitulado “Mon Jornal”. Instigado pelo objeto encontrado, eles logo descobrem que este estava escrito na língua francesa. Assim, durante vários dias, Jean passa a traduzir o conteúdo do diário para Karina. Porém coisas estranhas acontecem todas as vezes que estão juntos, principalmente quando estão munidos do diário. Começam a reparar também, vários fatores que se assemelham a eles e a cidade onde estão. Mesmo alarmados com essa situação, eles continuam a leitura para desvendarem o seu final. E a cada novo encontro, a paixão e a cumplicidade do jovem casal cresce cada vez mais.

O “Mon jornal” é um diário que some misteriosamente no ano de 1741, no Arraial dos Franceses e reaparece inexplicavelmente no ano de 2013, em Carvalhos. Este diário é o ponto chave da história de Yara, Adrien, Karina e Jean. Qual será o mistério que envolve o diário? Qual a relação entre os casais de épocas tão diferentes? Este foi um mistério que eu adorei desvendar.

“Um sorriso de tristeza e resignação esboçou-se em seus lábios e uma grande esperança iluminou sua alma. Adrien sabia que de alguma forma aquele intenso amor não terminaria ali, nem naquele momento, porque um amor assim não morre nunca.”

De uma forma simples, fácil e instigante, o autor nos envolve em uma história emocionante e cheia de mistérios. O livro também esbanja cultura e riqueza nos detalhes. Somos apresentados a costumes, lendas e crenças do Século XVIII, além de várias falas e palavras em francês e tupi-guarani, que foram devidamente traduzidas, para que nada ficasse sem entendimento. A trama foi muito bem executada, e mesmo narrando passado e presente, a história foi conduzida e finalizada perfeitamente, deixando aquele gostinho bom de “quero mais”. Essa foi a primeira obra que eu li do autor Daniel de Carvalho, e fiquei super encantada com sua escrita. Ela é leve, fluida e de simples compreensão. Como eu disse no início do texto, este livro me surpreendeu e me cativou imensamente. Uma história que se passa no coração do nosso país e que mostra a grandeza na nossa cultura. Além de nos proporcionar momentos de amor sublime. Este foi um livro que deixou saudades...


“Et si tu n’existais pás, dis-moi pourquoi j’existirai.”







Até a próxima!









18 Comentários

  1. Olá Daiane,

    Que resenha incrível! Ressaltou os pontos positivos do livro e com esses quotes trouxe saudades dessa leitura marcante, envolvente e emocionante!

    Beijos,

    http://www.viajenaleitura.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Thais! principalmente por ter me dado a oportunidade de ler o livro. <3

      Excluir
  2. Eu sempre fico com um pé atrás quando se trata de literatura nacional, já me decepcionei tanto... MAS gostei da premissa desse livro, a família Dubois parece ter sofrido muito! A idéia do livro não é, por se dizer, inovadora, mas também não é mais do mesmo, que imagino que você também deve estar cansada de ver.
    Ouvi dizer que a edição não foi bem revisada e ficou cheia de erros, atrapalhou/incomodou sua leitura? O pessoal da revisão deveria tomar mais cuidado!
    Gostei bastante da sua resenha, vou procurar saber mais sobre o livro com certeza!
    Sucesso e beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Juliane, tudo bem? Sim, eu encontrei alguns errinhos no livro, faltou um pouco mais de atenção na revisão. Entretanto, isso não dificultou a minha leitura. Como disse, este livro de surpreendeu. Leia se puder, tenho certeza que você também irá gostar!

      Excluir
  3. Gosto muito de livros que se misturam com um contexto histórico, sei lá, da um tempero especial para mim que gosto tanto de História.

    www.poyozodance.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Daiane, já ouvi tanto sobre esse livro, e só coisas boas o que me deixa mais curiosa ainda! Acho a trama dele bem interessante e chama muito minha atenção, sem contar que sou apaixonada por livros que tenham histórias que envolvam diários, incrível!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  5. Olá!

    Eu li e adorei! A trama é incrível, envolvente e o conteúdo histórico é maravilhoso! Pena que a revisão deixou a desejar, com vários erros de português ao longo da obra.

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Eu ainda não conhecia esse livro, achei interessante, e muito lindo essa história, ainda mais por ter um pouco de um enredo do século antigo, com esse novo. Gostei muito da sua resenha, me fez interessa muito no livro.
    Beijos,
    www.dosedeilusao.com

    ResponderExcluir
  7. Dai, ouvi falar desse livro há pouco tempo e fiquei interessada na leitura, parece ser muito bom e a capa é muito linda. ^^

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  8. Olááá!

    Eu gostei de ler esse livro, foi ágil e eu AMEI a forma como foi escrito *-* O autor pesquisou muuuuitos detalhes e os personagens são super cativantes <3 Eu gostei bastante!
    Fico feliz que tenha gostado também!


    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  9. Oi
    Eu quase solicitei esse livro no inicio da semana.
    Se eu tivesse lido sua resenha antes com toda certeza teria solicitado, pois amei a premissa, amei a sua resenha.
    Fiquei feliz em saber que o livro esbanja conhecimentos como cultura, lendas e costumes da época.
    Fiquei realmente curiosa para conferir o livro.

    ResponderExcluir
  10. Amo essas capas da pandorga! Eles estão realmente fazendo um trabalho ótimo! E fiquei bem interessado pelo livro também!!

    Abraços, Miguel do Demasiadamente Lendo

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Adorei a sua resenha parece ser um livro maravilhoso, adoro livros com mistérios, romances.
    Espero ler um dia!

    Beijos!
    http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br//

    ResponderExcluir
  12. Oi Dai!
    Segunda resenha que leio deste livro e, já na primeira, havia colocado na minha lista de desejados. Eu simplesmente amo livros onde a história envolve cartas ou diários. Não sei explicar,mas acabo me sentindo mais íntima dos personagens, me sinto dentro da história.
    Espero comprá-lo ainda esse ano para poder fazer a leitura logo! Ainda mais pq ele tem romance e mistério, ingredientes que amo em um livro!
    Beijos
    Coisas de Meninas

    ResponderExcluir
  13. Oi Dai, tudo bem?
    Adorei a sua resenha, super completa como sempre <3
    Estou bem curiosa com esse livro, porque amo livros que intercalam o tempo e mostram duas histórias diferentes, mas que uma acaba interferindo na outra. Espero poder ler o livro em breve e me apaixonar também.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura

    ResponderExcluir
  14. Olá Dai,
    Achei bacana a premissa do romance, mas leria com baixas expectativas porque sempre tenho cuidado ao notar como uma cultura é representada... É um assunto delicado. Mas daria uma chance.

    Beijos,
    Miss Sorrisos Blog
    Twitter|Instagram


    ResponderExcluir