Música, buzina, despertador e então... silêncio. Como se acostumar a não ter som e precisar aprender a se comunicar novamente?
As pessoas dizem verdadeiras pérolas sobre surdez, pois a maioria desconhece o assunto. Não compreendem o que é lidar com a ausência de um sentido tão importante, algo que sempre teve, sempre fez parte da sua vida, até o perder. E, então, ter de reinventar todas as suas verdades.
Nesta obra, a autora narra experiências de sua vida após o diagnóstico de surdez total irreversível, buscando ampliar o (re)conhecimento sobre o tema na sociedade. São histórias singulares, divertidas e complicadas, sobre paixões, curiosidades, tecnologias, preconceito, aprendizado e, principalmente, luta e força de vontade.
Um livro que trilha o caminho em direção dos que almejam encontrar respeito aceitação e voz.



Compre aqui: Impresso | E-book



Ficha Técnica do Livro
Páginas: 122 | Formato: Impresso / E-book | ISBN: 978-85-68175-34-7 | Idioma: Português | Ano: 2016 | Gênero: Não Ficção / Autobiografia | Editora: wwlivros








Pérolas da Minha Surdez é o novo livro da autora Nuccia de Nicco, que será lançado oficialmente no próximo sábado, dia 19/03. A obra foi publicada pela Editora WWLivros e proporciona uma leitura informativa, fluida, divertida e emocionante. Nuccia é formada em biologia, doutora em bioquímica, escritora, poetisa, blogueira, bailarina, apaixonada pela vida e, depois de terminar o livro, digo com convicção que ela é um é um ser iluminado e tem uma alma linda.

"É impossível para alguém compreender a ausência de um sentido que sempre teve, faz parte da sua vida e do seu dia a dia. Até o perder. Aí, vira algo que não sabe se vai recuperar, precisa esquecer e se adaptar, e da qual sente saudades. Todos os dias."

Nesta obra vamos mergulhar em assuntos desconhecidos por muitos leitores. Um diferencial do livro que, com certeza me envolveu ainda mais em suas páginas, foi a forma como a autora nos conta a sua história. De uma maneira muito leve e descontraída, Nuccia nos leva a refletir sobre a surdez, suas causas, dificuldades e preconceitos. Antes de iniciar a leitura, tente responder as perguntas feitas por ela: "Como se acostumar a não ter som? Como é aprender a se comunicar de novo? Como é ficar surda, estar surda e não conseguir ser surda?" Conseguiu responder? Pois essa foi a nova condição em que se viu, de um dia para o outro ela ficou sem um do seus sentidos, a audição.

"Era um dia como outro qualquer. E então, sua audição direita sumiu. Anos depois, a esquerda também se foi. Você ficou total e irreversivelmente surda aos vinte e sete anos de idade. Você estava no final da faculdade, prestes a fazer a prova do Mestrado. Estava, ainda, terminando um curso profissionalizante de Dança, enquanto se recuperava emocionalmente de uma traição após nove anos de relacionamento. Uma época em que você tinha tantas esperanças, outros tantos sonhos e, de repente, passou a sentir que tudo foi roubado."

Abordando um assunto de suma importância, Nuccia nos mostra toda a sua sensibilidade ao relatar sua história de superação / adaptação com passagens autobiográficas. Suas memórias são tocantes e emocionantes, e de forma alguma ela tenta fazer um apelo emocional expondo seus medos e emoções. Ela nos mostra que não existe limite para superar os obstáculos que encontramos durante nossa vida, a superação está na forma em como encaramos os novos desafios. 

"Na maioria dos meus dias, ser diferente é uma dádiva, uma maldição e uma batalha. Tudo junto e misturado."

Dosando de estudos, pesquisas e relatos pessoais, a autora nos leva a conhecer um mundo onde não há som, e de forma sempre bem humorada, ela nos encanta com sua forma de encarar a vida. Além da obra contar com suas memorias, ela também nos apresenta os diferentes tipos de surdos, as dificuldades encontradas, a comunicação e ainda responde algumas perguntas que, eu tenho certeza de que você sempre quis saber, mas nunca teve a oportunidades ou a coragem de perguntar. Nuccia também dá dicas de biografias que leu e recomenda algumas obras. E claro, tem um capítulo dedicado a sua outra paixão, a dança do ventre. Nesta capítulo ela fala sobre esta cultura e como foi se adaptar a dança depois de perder a audição.

"Se quiser me classificar, prefiro ser chamada de surda. Não gosto do termo deficiente, pois me faz parecer incapaz. Eu sou uma porrada de coisas, menos incapaz."

O livro está lindo, sensível e divertido. Fiquei encantada com seus relatos e sua força de vontade, e me rendi a leitura. Parabéns a autora pela belíssima obra, pelo trabalho executado, pela dedicação e pela sensibilidade em narrar a sua história e pela coragem de expor seus medos e dificuldades. Você é uma guerreira! E não posso deixar de dizer (desculpe pelo palavrão): Nu, você é PHODÁSTICA!

"Todo mundo diz que sou um exemplo de superação. Porém ninguém sabe, realmente, que eu não superei nada.De algum modo, meu organismo se recusa a aceitar passivamente, a superar e deixar pra lá. (...)  Então, o que devo ter é força de vontade. Porque escolhi continuar vivendo bem com o que me restou ao invés de parar a vida por causa daquilo que perdi."








A AUTORA






Nuccia De Cicco é bióloga, Doutora em Bioquímica, escritora, poetisa, bailarina e blogueira. Carioca de paixão, moradora de Santa Teresa, bruxa até o fundo da alma, é apaixonada por livros, viciada em seriados, louca por tatuagens e lambidas caninas, além de ter uma queda saudável por cafajestes.
Aos 27 anos, uma doença genética a deixou surda e, desde então, ela luta contra seus próprios dilemas, contra as dificuldades do mundo silencioso e o preconceito auditivo de quem ouve. Suas histórias foram publicadas no livro “Pérolas da minha surdez”, uma obra cheia de luta e força de vontade.



Siga a autora:
 Fanpage  Twitter  Blog  Instagram  Skoob  Wattpad  Widbook  YouTube  Google+ 







Amanhã tem mais, fique de olho!


Semana Pérolas da Minha Surdez:


Siga nossas redes sociais, e acompanhe o nosso trabalho:




 Facebook   Instagram   Twitter   Google + 


Beijos!











17 Comentários

  1. caracas, Dai!!
    Que resenha.... =O
    To até sem palavras pra expressar a gratidão da sua análise do livro... gente.... Vejo que você conseguiu pegar a essência do texto. Nunca quis esfregar minha surdez na cara de ninguém, pelo contrário, sempre procurei fazer com que o problema fosse entendido, bem diferente de apenas conhecido. Obrigada pelo apoio, pela leitura, pela resenha e pela divulgação... Seu blog é lindo, vc é 10!
    um beijo no coração!!! Nu.

    ResponderExcluir
  2. Primeiramente, queria dizer que o blog é lindo e super delicado!! Parabéns, à vocês que trabalham para que fique 100%!! Adorei!! Show!! Semana Pérolas está um arraso só!! Vocês estão caprichando, hein?! Vamos ver o que vem por aí!! Um grande abraço!!

    ResponderExcluir
  3. A Nuccia é uma querida, admiro muio ela. Soube pelo blog da Giu Sperandio sobre o livro e que ela é surda, apesar de já conhece-la nas redes sociais, eu não sabia, acredita. Só me faz admirar ainda mais essa guerreira. Esse livro está na minha lista de compras e tenho certeza que irei favoritar, só por esses quotes já imagino rs. Beijos da Sa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sá!!
      Eu nem sei porque quase nunca digo a quem conheço sobre a surdez... Só depois de um tempo as pessoas ficam sabendo. Até mesmo quando eu pego um táxi ou conheço um carinha novo... Sei la´!
      Obrigada de antemão por me favoritar!!!! <3 *_*

      Excluir
  4. Oiee ^^
    Vi bastante sobre esse livro na blogosfera no último mês, e como nunca li nada parecido, achei muito interessante e estou curiosa para conhecer a história da Nuccia, não consigo imaginar como deve ser passar por isso :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu só tenho a agradecer às meninas pela ajuda no início do mês! É um prazer imenso ver a opinião de todo mundo sobre meu bebê!
      Passar por isso é inimaginável... Eu sei pq eu n consigo me ver, por exemplo, paraplégica ou cega... Mas pode acontecer!
      um beijo!

      Excluir
  5. Mais uma resenha incrível dessa obra que está me deixando muito curiosa. Conheço a Nuccia já faz algum tempinho, devido aos blogs e tudo mais, e gostaria muito de ler o livro para saber mais sobre sua batalha e superação. Não imagino o que seria se um dia eu acordasse e não ouvisse mais.

    Super beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahá!! Só resenha lacradora, não é? To chocada, to passada, to amando!!!!!!!
      A gente tenta transformar nossas dores em sorrisos, caso contrário, viver ia ser uma m....
      beijo!

      Excluir
  6. Ola! Estou lendo e amando o livro da Nu! A história dela é linda, é impossível não se emocionar e até mesmo refletir em alguns momentos. Sua resenha ficou linda, beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Su!!!! eu vi a sua resenha... que foi aquilo??!!
      Paxonei!!! obrigada!!

      Excluir
  7. Oiii cheirosa, aiii esse livro...
    Como não amar e admirar cada dia mais essa história?
    Eu já amava a Nu como amiga e parceira de loucura blogolisticas kkkk, mas lendo a história dela só triplicou minha admiração, meu amor, meu respeito e meu carinho.
    Fora que ela enfrentou tudo de sorriso no rosto e peito aberto.
    Parabéns pela linda resenha, ela surtou quando viu...
    Beijocas grandes!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, menos, pare de puxar meu saco assim, em público!!! XD
      Eu já disse que te amo??
      Você é 10!! É a presidente do meu fã-clube!

      Excluir
  8. Agora a minha vontade de adquirir o livro aumentou rsrs. A resenha ficou show, parabéns meninas vocês estão arrasando com a semana Pérolas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahá!! Pede emprestado pra Giu! rsrs...
      Obrigada, Jenny!... *_*

      Excluir
  9. Caramba!
    Não sei o que me impressionou mais, a história da querida Nuccia, ou sua resenha, de toda forma o conjunto provocou uma sensação gostosa de preciso ler!!!
    Que história emocionante! Eu realmente não consigo imaginar como encarar o fato de perder um dos sentidos assim tão bruscamente, por mais que não seja fácil de forma alguma, uma coisa é você nascer sem ele, outra é se adaptar a viver sem, e com certeza deve ter sido bem intenso!! Amei e vai pra lista com certeza!!
    Parabéns as duas!

    Beijokas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Kelly!
      Quando a gente para para analisar aqueles dias, parece que a vida está mais fácil, mas, naquela época, eu lembro do sentimento, era tudo muito, muito ruim... Tempo e perseverança são as chaves... E paciência é a resposta! ;)
      Muito obrigada!

      Excluir