“Geralmente, separo os tópicos a serem abordados em cada capítulo. Ao longo da história esse esquema é modificado várias vezes, a medida que os personagens tomam conta da história. Sou uma pessoa muito visual por isso uso e abuso de esquemas coloridos.”
Nahra Mestre, autora de “Não pare de sonhar” e “Acordei, e agora?” Amazon





“Quando decido iniciar uma nova história, faço um cronograma com os acontecimentos principais. Dificilmente sigo ao pé da letra, pois as personagens tendem a criar vidas. Por isso me entrego a elas. Começo do livro sempre é certo, mas o restante não consigo controlar.”
Jess Bidoia, autora de “Minha vida ao seu lado” e “Minha escolha é você” Amazon | Wattpad




“A ideia geral eu escrevo aleatoriamente. Depois, tento fazer uma outline para não me perder no meio do processo e para não cometer gafes. Tento organizar como a história vai se desenvolver, como serão as personalidades dos personagens e onde vai ser o ápice da história. Além disso, tento colocar algum elemento para prender o interesse dos leitores em todos os capítulos.”
Ligian Ferreira, autora de “Leve como a brisa” Wattpad




“Tudo que eu escrevi até hoje foi baseado em roteiros que funcionam como espinha dorsal da história. Serve basicamente para não me perder na continuidade. Ele tem os personas da cena, ação e um possível resultado. Vou acrescentando detalhes a medida que escrevo: data, hora do dia, adereço de cena, frase importante... É quase como um roteiro de cinema. Começa básico e vai ganhando corpo com a necessidade. Assim evito entrar num ponto problemático da história que não terei como reverter.”
Carol Teles, autora de “A mais bela melodia” “Doze anos entre notas” e “A mais bela melodia: o acorde final” Amazon | Wattpad





Vou confessar: Essas minhas amigas aí de cima são muito mais organizadas que eu! Eu vou na linha ESCREVO CONFORME VAI FLUINDO. Não faço anotações de personagens, nomes, lugares e etc, mas te falo, tenho uma memória excelente para os detalhes das histórias que eu escrevo. Você está se perguntando quem é que está certa nessa história? Todas estamos! A forma de você programar o conteúdo do seu livro depende exclusivamente de você e do que te agrada mais. Algumas pessoas são totalmente visuais, se não há anotações, nomes grifados,características específicas, bilhetinhos coloridos, a pessoa se perde totalmente. Outras vão mais pela memória, o que acho ser o meu caso. Eu sempre puxo no pensamento os detalhes do último trecho que eu escrevi, e se eu ficar confusa, dou uma lidazinha rápida no conteúdo e já embalo na escrita.

Acredito que 100% das autoras mudam alguma coisa no meio do caminho. Por mais que você tenha todo um roteiro, esquematizado em anotações ou na memória, em algum momento suas personagens vão te pregar uma peça. Por que eu sei disso? Porque no caso do meu livro, Aos Teus Pés, minha ideia inicial era que Fred e Mari se detestassem. Isso estava lá no meu roteirinho imaginário e não anotado. Mas adivinhem? O moreno impertinente colocou seus olhos na loira gata e pronto! Foi amor à primeira vista. Não pude fazer essa maldade com o garoto! Personagens criam vida própria e mandam em seus dedos, então não fique apavorada se eles resolverem ser rebeldes e não seguirem o cronograma nem a programação. Isso é a mágica de se escrever um livro!

Uma coisa que ajuda muito na questão dos personagens é adotar um “shape” para eles. O que são os shapes? São pessoas reais, como atores, modelos ou outras personalidades que têm as características que você descreve como sendo as dos seus personagens. Isso te ajuda a não falhar quando for descrevê-los em cenas, uma vez que você tem em mente como essa pessoa seria! No meu caso, escolhi o modelo Lucas Bernardini para ser o shape do Fred e a atriz e cantora Julianne Hough para ser a shape da Mari.


   


Mas o mais importante independente da sua forma de organização: Não se perca! Fique atenta aos acontecimentos e as detalhes que amarram a história. Não tem nada pior do que um leitor ficar perdido no seu enredo porque os dias não batem, os nomes foram trocados, o capítulo anterior não faz sentido nenhum depois que ele leu o próximo e etc. Um enredo com coerência, no meu ponto de vista é fundamental!

Então faça uma avaliação sobre que tipo de escritora você é: a das anotações ou a da memória? Se for a das anotações, você pode comprar um caderninho só para isso, pode dividir as páginas uma para cada capítulo, escrever detalhes, grifar com cores fortes informações importantes que não podem faltar, anexar fotos dos shapes para ver toda vez que achar necessário, descrever características da personalidade de todos os personagens e por aí vai. Se não tiver por perto um caderno no momento DAQUELA inspiração, escreva no bloco de notas do celular, ou grave uma mensagem de voz no telefone com a ideia principal que você teve, mande um e-mail para você mesma pelo próprio celular com tudo o que você está pensando. Nunca se sabe onde e quando você poderá ter uma ideia extraordinária. Se você for da memória, não se sinta louca por não precisar anotar nada! O importante no final é que a história te agrade e que agrade os seus leitores! Eu vivo tendo ideias boas dentro do ônibus, ouvindo música e torcendo para chegar logo em casa, e sem anotar nenhuma delas, no mesmo dia ou mesmo ainda dias depois de ter a ideia, escrevi capítulos que, graças a Deus, emocionaram muitos leitores. Quem vai entender? Meu processo criativo é meio louco! Então abuse do seu, se organize da forma que mais te agradar e mão na massa! Vamos dar START nessa história que eu tenho certeza que será sucesso!

E no próximo post a gente vai falar das fofas e muitíssimo necessárias BETA READERS! ❤ Espero vocês!







2 Comentários

  1. Amei a matéria.. sua lindaaa. Parabéns Mi.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom saber como as autoras organizam suas histórias. Interessante é que sempre os personagens tomam conta dos autores.
    Parabéns as autoras e ao blog.

    ResponderExcluir