Sinopse: Letícia e Diogo são primos, mas isso não os impede de se apaixonarem. Durante três verões eles conseguem viver essa paixão escondidos, mas são descobertos, a pressão familiar e uma mistura de sentimentos os separam. Doze anos depois a família volta a ser o motivo para seus caminhos se cruzarem. Diogo está noivo e Letícia passa por problemas emocionais graves, resta saber se o primeiro amor reacenderá ou se tudo não passou de uma paixão de verão.

Onde comprar: Amazon
  
Ficha Técnica do Livro
 Páginas: 323 | Gênero: Romance  | Formato: E-book | Editora: Independente | ASIN: B01FT9IWG0 | Idioma: Português | Ano: 2016






“Segundas, terceiras ou infinitas chances sempre são possíveis quando o amor está envolvido.”

Começo essa resenha já adiantando que nada do que eu escrever aqui será o suficiente para expressar o quanto esse livro me emocionou. Quando a autora me convidou para dar as minhas primeiras impressões da obra (leia aqui), eu soube com apenas cinco capítulos, que a história seria intensa, mas nada me preparou para a avalanche de emoções que o enredo proporciona. A Fê tem o dom de transmitir sentimentos através das palavras, e construir personagens únicos, que fazem você se esquecer que eles não são reais. Quando o autor consegue esse objetivo, tenho certeza de que ele cumpriu o seu propósito. Desde o primeiro livro que li de sua autoria, virei fã de seu trabalho, de sua escrita impecável, do seu jeito de me envolver em suas histórias e de me tornar íntima de seus personagens, e claro, de me proporcionar diversas sensações. Esta obra só reforçou a minha admiração por ela. Mas vamos lá, vamos deixar de rasgação de seda e vamos conhecer um pouquinho desse livro que me marcou tanto.

“Geralmente o mais fácil, é apenas isso, fácil. E quando nos damos conta, deixamos para trás o que realmente queríamos, apenas por preguiça de tentar.”

Diogo e Letícia são primos, e em todos os verões se encontram na mansão de seus avós, em Minas Gerais, para passar as férias. Essa é a época mais aguardada por toda a família, é o momento do reencontro, de matar a saudade e criar novas memórias. Mas para esses primos inseparáveis, essa data é mais do que desejada. De uma linda amizade e cumplicidade, nasceu o amor; um amor puro, doce, forte e proibido. Durante dois verões eles viveram esse sentimento em segredo, construíram momentos inesquecíveis e fizeram planos para o futuro, que incluía a revelação do namoro no verão seguinte, quando Lê completaria a maioridade. O ano passou e o tão esperado momento chegou, enfim eles poderiam gritar para o mundo que se amavam. Enquanto Diogo estava convicto de seus passos e determinado a enfrentar qualquer coisa para ficarem juntos, Letícia era consumida pela insegurança e pelo medo do que sua família poderia fazer, pois esse romance nunca seria aceito por eles. Com isso, ao serem descobertos, ela acaba tomando uma decisão dolorosa, que marcaria não somente o seu futuro e de seu primo para sempre, mas também de todos a sua volta. Essa decisão mal tomada acarretou mágoas e cicatrizes profundas no coração desse casal. 

"Coração, desculpe por causar esse auê, mas não posso ignorar o chamado daqueles verões, não posso fingi que esqueci. Preciso ir fundo e quem sabe encontrar a paz para nós dois. Vamos lá coração, eu te descobri nessa aventura, eu fiz você sofrer com minhas escolhas, apenas peço que me dê uma pequena chance de talvez encontrar a saída. Está na hora de mergulhar."

Doze anos após o fatídico verão, os primos são obrigados a se reencontrarem. Afonso, o patriarca da família acaba de falecer, e todos ficam arrasados. Esse encontro tão temido será o divisor de águas, os sentimentos do casal falam mais alto, mesmo que tentem resistir, mesmo que o peso do passado faça a diferença na balança. Contudo, muita coisa mudou, seus caminhos e ideais tomaram rumos diferentes. Hoje, Diogo é noivo de uma moça gentil e amável, já Letícia luta para se manter em pé, seguir a diante sofrendo com os erros do passado e tentando vencer a síndrome do pânico. Mas uma coisa é certa, e as palavras de Afonso são sábias: “Um homem não pode fugir do seu destino.”. Agora basta saber se o amor do casal resistiu aos anos de tantas dores e perdas, se serão capazes de perdoar, de seguir em diante, se terão uma segunda chance ou se descobrirão que tudo isso não passou apenas de um amor de verão. Mas pode ter certeza de uma coisa: você vai sofrer, chorar e amar cada linha dessa trama!

“Era a conexão e o poder de um sentimento que nenhum deles tinha esquecido, mas era também a dor e a mágoa por escolhas erradas, por momentos perdidos, por uma vida vivida sem aquela troca de olhares.”
“(...) Perder você fez com que eu me perdesse também. E os últimos anos foram inquietantes, cheios de medo e incertezas.”

TRÊS VERÕES é uma história que fala de escolhas erradas, de sentimentos genuínos, de fé, superação, perdão, segundas chances e descobertas. A vida desse casal foi dura e o caminho tortuoso e difícil, cheio de provações. É impossível não sofrer com eles e não torcer para que encontrem um final feliz. A carga emocional é tão intensa, que fiquei com o coração apertado durante toda a leitura, com aquele “bolo” na garganta e com o choro correndo fácil. Quase desidratei! Se você tem o coração mole como o meu, prepare-se para ver suas emoções afloradas. No entanto, até para você que é mais “durão”, tenho certeza de que vai amolecer. Sou uma pessoa romântica, que acredita fielmente no poder do amor verdadeiro, e essa trama só reforçou a minha crença. O amor é um sentimento divino, que tem o poder de acalentar, de dar força, de curar e de transformar, e a autora mostrou toda a sua sensibilidade ao abordá-lo com tanta maestria neste livro. Eu poderia ficar aqui listando milhares de qualidades que a história possui, mas prefiro deixar o meu convite para que você possa descobrir por si mesmo, e assim entender o porque a considero tão marcante. Leia, reflita, sinta e retire para sua vida as inúmeras palavras de sabedoria que o enredo possui.

“Era mais que amor, era mais que paixão de adolescentes, era mais que um amigo ou primo, era uma ligação de almas, uma conexão de olhares que só os dois sabiam o que significava, mas jamais poderia explicar ou definir. A relação deles não cabia em palavras.”
“(...) eu não desejo um amor de contos de fadas, eu desejo um amor de milagres diários, em que as decisões que vocês tomarem sejam baseadas em fé no outro, fé no futuro juntos e principalmente fé de que Deus os criou (...)”

Por fim, eu gostaria de parabenizar a autora por essa obra linda, sensível e tocante. Fê, não tenho nem palavras para mensurar o quanto fiquei emocionada. Essa história deveria ganhar as prateleiras do mundo inteiro (rs)!

“O verão sempre será a estação mais clara do ano, aquela que nos dá energia para suportar o frio do inverno, as perdas do outono e a melancolia da primavera, mesmo depois das chuvas inesperadas, o verão sempre tem um sol quente na manhã seguinte. Esqueça as chuvas do passado, o sol está diante de você, abra os olhos e viva!”




Sobre a autora:




Fê é uma apaixonada por histórias, por isso fez Psicologia. Dona de um coração bobo, que tem a capacidade infinita de acreditar no amor, então passou a escrever, de tudo um pouco, poesias, contos e romances. Participou de antologias, escreveu colunas em revistas eletrônicas, é blogueira e autora no Wattpad. Ímã de Traste é seu primeiro Chick-Lit. Baiana, mora em Recife com seu marido e sua filha peluda, Belle.


Acompanhe o seu trabalho: Fanpage | Instagram | Twitter | Skoob









 


8 Comentários

  1. Dai! Meu Deus que resenha é essa??? Que emoção que eu senti ao ler essas palavras tão carinhosas e que me fizeram chorar de felicidade! Escrevi esse livro sentindo muitas coisas e ver que ele causa tantas sensações em quem lê, me deixa flutuando e com a sensação de dever cumprido! Obrigada!!!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Dai
    Muito bom quando a história marca a nossa alma e deu para perceber que essa história te marcou.
    Uma linda história cheia de sentimento, sensível e tocante. Me emocionei com a sua resenha, imagina lendo o livro.... Aguenta coração!!
    Parabéns pela resenha
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá! Eu achei sua resenha linda! O livro parece ser super lindo, achei o casal bem fofo! Fico imaginando o quanto eles sofreram pelo amor deles e mais ainda quando se separaram. A Fê só escreve histórias arrebatadoras, beijos!

    ResponderExcluir
  4. Oi Daí, que linda resenha!
    Vc conseguiu passar muita emoção apresentando o livro, consegui me imaginar lendo a história. Estou bem curiosa quanto a escrita da Fê, e a forma com que vc colocou sua opinião sobre esse livro, só fez aumentar a curiosidade. Fiquei curiosa tb sobre o final dos personagens, se foi juntos ou não, mas se foi superado, positivo, enfim, só lendo, né? Entrou ora lista de desejados!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Oi Dai, desde que li as primeiras impressões deste livro fiquei completamente apaixonada pela proposta... quero muito ter a oportunidade de lê-lo um dia... e desejo muito que ele venha a ser publicado fisicamente... porque comprar em E-book pra mim tá meio complicado porque estou sem cartão de crédito... enfim.. a resenha ficou linda... ficou nítido o quando a história te encantou... e tenho certeza que ficarei encantada com o enredo... amei... xero!!!

    ResponderExcluir
  6. Oi, deu para perceber na resenha o quanto você amou esse livro e essa paixão está nas belas palavras que usou para descrever a historia. Pelo fato de para mim e minha familia, primos ser como irmãos, acho o lance de primos namorarem meio chocante, meio incestuoso, por isso não leria, se fosse um romance entre pessoas diferentes, sem relação familiar, com certeza leria, mas por ser da mesma familia, me deu uma desanimada, mas mesmo assim, meus parabéns pela resenha.
    bjus

    ResponderExcluir
  7. Oi Dai!
    Eu tbm tenho um coração mole então já vou separar a caixa de lenço para ler esse livro... Mas não tô reclamando, adoro chorar com livros, kkkkk. Ainda mais quando se trata de amor entre primos, adoro histórias assim porque se parecem com a minha.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  8. Olá flor, adorei a resenha. Não conhecia a obra e pelo que você descreveu parece ser algo bem encantador, uma leitura envolvente.

    Abraços

    ResponderExcluir