“Para mim a Beta é uma pessoa que mostra o que o autor não consegue ver. Ela é muito importante, pois é através dela que vamos saber um pouco como os leitores vão reagir com a história e o que precisa ser melhorado. Sem a minha Beta eu nunca teria seguido a diante, ela me incentiva e me ajuda muito.” - Jess Gomes, autora de “Confie em mim”





“A Aline é muito importante para o meu trabalho. Tem momento em que eu estou em dúvida sobre o enredo que vou escrever para a nova história, ou, até mesmo, dúvida sobre o andamento de alguma história antiga. Ela ajuda falando se faz sentido, se está cansativo, se está muito rápido, se tal casal tem química... Resumindo, ela é aquela pessoa que me ajuda nos meus momentos de indecisão. Sou muito grata por ter alguém sincero e disposto a me ajudar a qualquer momento” - Manuele Cruz, autora de “Meu chefe estupidamente arrogante”




“Eu tive a oportunidade de contar com pessoas maravilhosas como beta. Acho muito importante e fundamental que a pessoa a exercer essa função, seja de confiança e sincera. Pois se não for assim, acredito que interfira no resultado final. Hoje eu tenho uma beta a quem confio imensamente, pois ela me puxa para a realidade no desenvolvimento da história e entende o que quero passar fazendo com que, quando me faltem palavras, ela as ache. Essa é JessBidoia. Tive a oportunidade de contar com uma beta/revisora/crítica na revisão do meu primeiro livro. Ela, além de ser uma excelente profissional, enxergava detalhes como determinadas expressões que de alguma forma não fosse entendida em outros países ou regiões do Brasil. Acho fundamental o apoio de uma beta para a construção de uma história, pois uma segunda opinião enxerga coisas que não vemos ou percebemos por já estar com a história pronta na cabeça.” - Andrezza Mota, autora de “No ritmo do amor”







Deu pra ver qual é a importância desses seres mágicos na vida de um autor? Eles são, pra mim, fundamentais.

A gente quando escreve tende a achar que tudo está lindo, que as vírgulas estão todas no lugar, que o nosso texto tem uma coerência incrível e que qualquer pessoa que pegar nossahistória e ler, vai achar que está lendo a obra mais incrível do planeta. Já tentou escrever alguma coisa, deixar guardado na gaveta e ler, sei lá, três, seis meses depois? Te garanto: Você vai se perguntar como é que teve coragem de escrever aquilo. Isso quer dizer que seu texto é horrível? Claro que não. O que aconteceu foi que você se desapegou daquele escrito e com o tempo pôde analisa-lo criticamente. É pra isso que servem os Beta Readers. Eles vão te dizer o que está certo e o que não está funcionando na sua história. Um olhar crítico e no caso, de fora.

Entenda a diferença do que vou dizer: Beta Reader não é revisor! Não entregue seu texto para alguém que você confia só porque a pessoa manja de português e você precisa que alguém corrija seus erros ortográficos. Esse não é o papel dele. O Beta Reader vai ler seu livro para te dizer se há coerência no que foi escrito, para perceber deslizes que você deixou passar, para te dizer os pontos positivos e negativos do que está ali. Seus betas vão, com total sinceridade(é o que se espera), te dar um rumo sobre aquilo que te incomoda ou te encorajar a continuar pelo caminho que você já percorreu.

Leve em consideração que leitura é algo muito subjetivo. Você provavelmente escreveu a história da forma que você queria, levou as coisas para o rumo que desejou e deu o fim que sonhou para o enredo. Ninguém agrada todo mundo nessa vida, certo? O fato de um beta não gostar do fim da história só porque esperava algo diferente não quer dizer que ele não gostou da sua história. Ele pode te dar motivos para que o fim seja outro ou vai simplesmente te pontuar sobre suas preferências. Cabe a você a decisão de mudar ou não.

Mas, se por ventura, vários deles te derem uma mesma opinião sobre algo especifico no seu texto, é hora de colocar as anteninhas para cima e verificar se realmente não há nada de errado nesse trecho. Às vezes é necessário mudar algumas palavras. Outras é preciso respirar fundo, apertar o delete e começar tudo outra vez. Eu já comecei a mesma história três vezes e em cada uma delas uma versão não tinha nada a ver com a outra. Foi desperdício de tempo as duas primeiras vezes? Não acredito nisso. Foi parte do amadurecimento da minha escrita.

Então procure pessoas nas quais confia, que queiram, por prazer, não por obrigação, ler seu texto e te ajudar com as críticas construtivas. Tenha bom senso para receber as críticas e não ficar ofendido sem analisar o que foi dito e tentar tirar o máximo proveito daquilo. Betas só querem ajudar! Não os pressione para lerem o que você mandou. No tempo deles, ou talvez dentro de um tempo combinado entre vocês dois, ele te falará o que achou a respeito. 

Pesquisando mais sobre o assunto na internet, achei esse artigo que acho que complementa muita coisa do que eu disse e traz dados diferentes não usados por aqui. Vale muito a pena a leitura!

 Leia a artigo AQUI 

E no próximo post a gente vai falar de uma coisa que eu adoro: WATTPAD!



Beijos,



4 Comentários

  1. Amei! "Ela pode te dar motivos para que o fim seja outro" essa é a Daia! Hahaha.

    ResponderExcluir
  2. Adorei o post!
    Não tenho beta e não sei nem onde posso procurar por um 😞
    Se alguém se interessar me manda um email (evilaneoliveira28@gmail.com ) , Vou ficar muito feliz! Há... meus livros são new adults, só para avisar, pois sei que existem leitores que não gostam!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Beta é aquela pessoa que não escreve o seu livro, mas ama como se fosse dela. Só tenho a agradecer a minha amiga (e beta) Ali por ser a minha razão onde a emoção fala mais alto! ❤

    ResponderExcluir
  4. Beta é aquela pessoa que não escreve o seu livro, mas ama como se fosse dela. Só tenho a agradecer a minha amiga (e beta) Ali por ser a minha razão onde a emoção fala mais alto! ❤

    ResponderExcluir