Como superar a dor de uma perda irreparável? Elizabeth está tentando seguir em frente. Depois da morte do marido e de ter passado um ano na casa da mãe, ela decide voltar a seu antigo lar e enfrentar as lembranças de seu casamento feliz com Steven. Porém, ao retornar à pequena Meadows Creek, ela se depara com um novo vizinho, Tristan Cole. Grosseiro, solitário, o olhar sempre agressivo e triste, ele parece fugir do passado. Mas Elizabeth logo descobre que, por trás do ser intratável, há um homem devastado pela morte das pessoas que mais amava. Elizabeth tenta se aproximar dele, mas Tristan tenta de todas as formas impedir que ela entre em sua vida. Em seu coração despedaçado parece não haver espaço para um novo começo. Ou talvez sim.

 Onde comprar:


Ficha Técnica do Livro
Título original: The Air He Breathes | Páginas: 308 | Gênero: Romance  | Formato: Impresso | Editora: Record | ISBN: 9788501075666 | Idioma: Português | Ano: 2016






A primeira vez que ouvi falar desse livro foi através de uma amiga, que me disse maravilhas sobre ele. Claro que minha curiosidade ficou completamente aguçada, mas para o meu desespero, a obra só estava disponível em inglês, o que se tornou uma leitura impossível para mim, já que eu não domino o idioma. Mas minha possibilidade surgiu quando a Editora Record anunciou o seu lançamento aqui no Brasil, e assim que tive a oportunidade, me joguei na leitura. Acho que criei inúmeras expectativas, que de alguma forma foram atendidas, mas nem todas. O ar que ele respira é uma história tocante, reflexiva e prazerosa, que fala sobre perda, superação e amor. O livro me conquistou bastante, mas não diria que se tornou o meu favorito. Esse é o meu primeiro contato com a escrita da Brittainy, e eu gostei muito da experiência, ela é bastante cativante e sensível, assim como o enredo. 

“A magia está nos pequenos momentos. Nos pequenos gestos, nos sorrisos gentis e nas risadas silenciosas. A magia de viver todos os dias e se permitir respirar e se feliz. Meu querido, a magia é amar.”

Nesta trama, iremos conhecer dois personagens que possuem uma carga emocional bem carregada, que perderam abruptamente e prematuramente pessoas que amavam imensamente. Tristan e Elizabeth possuem muitas dores em comum, mas a forma como enfrentam as coisas é o que difere um do outro. Liz perdeu há um ano o seu marido, o homem por quem era apaixonada, seu companheiro, seu melhor amigo e o pai de sua filha. Essa perda tirou o seu chão, mas de alguma forma, ela tenta se manter em pé, pois sua pequena Emma, de apenas cinco anos, depende dela. Por ter vivenciado algo parecido na juventude, Elizabeth não quer repetir o mesmo erro de sua mãe, e não quer que sua filha perca sua infância porque ela não consegue lidar com a perda. Emma é a sua fonte de força, a sua direção, e por ela, Liz está disposta a manter sua respiração, uma de cada vez, mesmo que às vezes ela tenha um surto de tristeza. Ela é humana no final das contas. Depois dessa grande perda, Elizabeth resolve sair da casa onde viveu os melhores momentos ao lado do marido, e vai passar uma temporada com a sua mãe. Com o passar dos meses, ela decide que chegou a hora de parar de fugir, que chegou a hora de voltar, retomar as rédeas de sua vida e retomar do ponto onde havia parado, sua filha merecia isso, ela merecia mais.

“Eu a amava mais do que ela poderia imaginar. Se não fosse por ela, com certeza já teria me rendido ao luto. Emma salvou a minha alma.”

Assim que chega na pequena cidade, um incidente faz com que seu caminho se cruze com o de Tristan, um homem grosso, que não esconde o seu descontentamento com o ocorrido. Não demora muito para que ela descubra que o grosseirão é o seu vizinho, e que ela adoraria entender o que ele esconde por trás de tanta frieza. A cidade toda tem medo de Tristan, fazem fofoca sobre ele, duvidam de sua integridade e acreditam que ele guarda algo muito sujo em seu passado. Mas Liz consegue enxergar algo nos olhos do solitário vizinho, algo que ela vê todas as vezes em que encara o espelho. Apesar de fazer tudo para mantê-la afastada, Tristan não consegue negar que Elizabeth lhe causa interesse, e que essa aproximação não deveria acontecer. Assim como ela, ele teve uma grande perda na vida, mas a dele foi em dobro, pois perdeu a mulher amada e o seu filho precioso em um único acidente. Depois desse episódio, Tristan se isolou do mundo, preferiu remoer suas dores e sofrer calado, mantém qualquer pessoa longe e não liga para o que pensam dele. Até ela chegar... Lizzie tenta de todas as formas quebrar as paredes que ele ergueu dentro do peito, ela quer uma chance de desvendar a sua alma, eles tinham tanto em comum que poderiam se ajudar, mas esse caminho será muito complicado. Aos poucos iniciam uma amizade, até que a atração fala mais alto, e então embarcam em algo novo e libertador. Juntos, Tristam e Elizabeth aprendem a como respirar novamente, ser o ar que o outro precisa para seguir em frente, para aprender a viver outra vez. Mas será que esse sentimento recém descoberto será o suficiente para apagar as dores e os traumas do passado? Eis a questão!

“Nós dois estávamos em mundos separados, feitos de nossas pequenas recordações, e, ainda assim, conseguíamos sentir a dor do outro. A solidão reconhecia a solidão.”
“Estar tão perto de Tristan, não apenas fisicamente, mas compartilhando com ele nossas emoções mais sombrias, fez meus olhos se encherem de lágrimas. Ele era belo. Era assustador. Era real.”

Esta é uma daquelas histórias que nos rouba o ar em alguns momentos, em outros nos deixa com os sentimentos à flor da pele, amando imensamente ou odiando em outras, que nos faz refletir e sentir, e de várias maneiras possíveis nos envolve em sua trama. Apesar do livro abordar um lado mais dramático, a Brittainy manteve sua escrita suave e delicada, e conseguiu passar as diversas emoções que os personagens sentiam. A primeira vista, Tristan não me agradou, a forma que ele encontrou para lidar com a perda foi se afastar do mundo, remoer as lembranças e se isolar de tudo, com isso, ele se tornou amargo, grosso e um tanto ignorante, e mesmo conseguindo sentir suas dores, não curti muito esse lado dele. Porém, ele me conquistou quando começou a dar espaço para que a persistente Liz entrasse em sua vida, aí eu conheci um homem que apesar de quebrado estava dando a chance de sentir novamente. Falando nela, Elizabeth me encantou com sua força, inteligência e doçura, sua determinação também é uma coisa admirável. Apesar da carga emocional, a trama também possui o seu lado divertido, que fica por conta de Faye, a melhor amiga de Liz, que é divertidíssima, alto astral, excêntrica e a sua espontaneidade me cativou completamente. Os momentos de fofurices ficam por conta de Emma, uma criança meiga e cheia de luz. A autora também incluiu um personagem que nos deixa com o coração na mão quase no final do livro, e ficou por conta de Tanner nos mostrar que nem sempre as pessoas são o que parecem ser. 

“Todos falavam mal de Tristan, imploravam para que eu não me aproximasse dele. Ele é um grosso, um desequilibrado, um homem devastado, Liz, todos diziam. Ele não é nada além de das cicatrizes do passado, garantiam. Mas as pessoas não o viam como ele era. Ignoravam o fato de que eu também era meio esquisita, meio desequilibrada e estava completamente devastada.”
“Ano passado, morri junto com minha esposa e meu filho. Fiquei fora da realidade, fora do mundo. Eu estava bem vagando sozinho. Porque viver todo santo dia era uma tortura. Mas Lizzie apareceu e, apesar de eu estar morto, ela me viu. Ela teve a paciência de me ressuscitar. Ela trouxe a vida de volta à minha alam. Ela me tirou da escuridão.”

Eu vou parando de comentar por aqui, porque pelo visto, acabei me prolongando demais. Em suma, a leitura foi muito satisfatória, emocionante e tocante. O romance entre Tristan e Liz foi algo lindo, e a força do amor que eles construíram foi sublime.

“Mas, enquanto o ar continuar enchendo os meus pulmões, enquanto eu respirar (...), vou lutar por você. Vou lutar por nós.”
“Ela era simplesmente o ar que eu respirava.”








Sobre a autora:






Brittainy C. Cherry é formada em artes cênicas, com especialização em escrita criativa pela Carroll University, em Wisconsin. Quando não está escrevendo, adora brincar com seus bichinhos de estimação. Ela mora com a família em Milwaukee, Wisconsin.


Acompanhe o seu trabalho:  Facebook | Twitter 











 


16 Comentários

  1. Eu estou obcecada para ler esse livros. Não li o anterior que a Galera lançou, mas esse com essa capa e esse drama que com certeza me fará chorar, já está na lista dos mais que desejados.
    Já sabia mais ou menos do que se trata o livro, mas um elemento de sua resenha me fez desejar ele com todas as forças. A Emma eu amor crianças em livros e se elas são fofas e cheia de luz como você disse, já quero adotá-la. rsrsrs

    Seu quotes me deixaram curiosa para saber se a narrativa é dividida entre a Liz e o Tristan.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Thiana! Tenho certeza de que a Emma vai te conquistar, ela é uma criança incrível. A narrativa é dividida entre os dois personagens. Espero que possa ler em breve. Muito obrigada pela visita, volte sempre!

      Beijos!

      Excluir
  2. Olá!
    Eu fiquei conhecendo esse livro pelo laçamento da Record mesmo e fiquei muito interessada nele. Gostei de saber que apesar de ter uma carga dramática bem grande, ele é fluído e tem os seus momentos de diversão. Não gostaria do Tristan de começo também, mas acredito que ele seja esse personagem que vai te conquistando aos poucos. Ainda estou com muita curiosidade de ler.
    Beijos.
    http://arsenaldeideiasblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi Dai!
    Conheci o livro no mochilão da Record e fiquei completamente louca de curiosidade pra ler esse livro. Adoro livros cujo os personagens carregam alguns tramas, bagagens, nesse caso o da perda. Me fazem refletir e até aprender, sabe?! E parece que a autora foi feliz na construção dos personagens, né? Mesmo sem você ter gostado muito do Tristan no começo, mas essa é a realidade de muitos, pra mim é compreensível. Cada um reage a perda de uma forma. Mas fiquei curiosa mesmo pra conhecer a amiga da Lizzie e a Emma, que parece ser adorável.
    Se eu já tinha vontade de ler o livro, ela só aumentou após sua resenha. Quero pra ontem! haha
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá Dai,
    Achei muito legal você ter dito que a história é envolvente e que a história tenha te agradado. Sinceramente, não tenho curiosidade de ler esse livro, pois acho que esse título é muito machista e a história não me conquistou. Acho que o Tristan não é um personagem que irá me agradar e não curti da construção dele, é uma pena porque muitos estão curtindo a leitura.
    parabéns pela resenha.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  5. Oi Dai, tudo bem?
    Eu não conhecia o livro, porém logo que bati o olho na capa já me chamou a atenção e após a ler a sua resenha tive certeza que desejo lê-lo. Pelo que percebi a leitura é realmente tocante, o casal carrega um grande peso das perdas e a forma como cada um lida com o luto deixa a história ainda mais real. O fato do Tristan não ter te agradado de início, porém a medida que ele deixa a abertura para Liz entrar na vida dele sua percepção em relação ao personagem também mudou e eu acho que isso comprova a habilidade de escrita da autora. Vou anotar a dica aqui, espero ler em breve!
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi Dai,

    Não tinha lido nenhuma resenha do livro ainda, apesar de ter ouvido burburinhos sobre ele, depois de conhecer mais sobre a história, se tiver oportunidade com certeza vou ler!

    Beijos!!

    http://www.viajenaleitura.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oie, já tentei ler Sr. daniels dessa mesma autora e acabei não gostando, mas confesso que esse enredo envolvendo perdas e drama me interessa muito então darei mais uma chance. Gostei de saber que a autora apesar da carga pesada escreve de uma forma sensível e já fiquei bem ansiosa para conhecer a emma.

    ResponderExcluir
  8. Nossa, estou vendo as pessoas babando por este livro e esta história. As que leram realmente comentaram maravilhas a respeito e você foi mais uma delas. A capa é uma lembrança para mim do David Beckham e gosto destas tramas sabe que colocam perda e logo um recomeço. Foi uma ótima jogada da Editora.

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.blogandolivros.com

    ResponderExcluir
  9. Oi! Esse é um livro que me chamou a atenção pela sua capa e que pela sinopse não me transmitia muita coisa, mas depois dessa sua resenha é um livro que eu definitivamente quero ler! Gostei do fato dela se manter forte para deixar sua filha ter a infância, de parar de fugir e resolver enfrentar de frente aquilo que mais traz dor e acredito que também gostarei do protagonista quando ele deixa-la entrar e ele passar a sentir mais a dor ao invés de se isolar. Gosto de histórias que são mais do que um simples romance e essa parece ser exatamente assim, me envolvi muito na resenha e tenho certeza que ocorrerá a mesma coisa no livro. Espero poder ler o mais breve possível <3
    Um beijo
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
  10. Oiee ^^
    Não sei por que, mas eu adoro personagens que possuem uma carga emotiva bem grande, daqueles bem sofridos, sabe? haha' eu até pensei em pedir este livro, mas imaginei que, pela premissa, ele fosse ser mais do mesmo, então acabei desistindo. Gente, estou me sentindo um arrependimento agora *-* Não imaginei que a história seria tão tocante e forte assim a ponto de roubar o ar e deixar o leitor com os sentimentos a flor da pele. Gostei...haha'
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Hey!
    Para falar a verdade, a capa desse livro não me chamou a atenção, mas o enredo... Nossa! Lendo a sua resenha eu senti como de estivesse lendo o livro em si, e mal posso esperar para adquiri-lo. Como eu já disse em várias outras resenhas que já comentei, eu simplesmente amo livros dramáticos que mexem comigo, aqueles livros que me deixam pensando sobre a vida ao final da leitura. Eu gosto de livros que me marquem, que me trazem alguma lição para que eu possa carregar para a vida. Os personagem de O Ar Que Ele Respira parecem ser muito carregados mesmo, e espero que o romance deles seja intenso. Pela primeira impressão que tive, nunca ia imaginar que esse livro seria tão tocante como você mesma disse. Ele entrou para a minha listinha de compras.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Olá!!!
    Já vi inúmeros comentários sobre esse livro e todos foram positivo,mas ainda tem algo que não me chamou muito atenção,achei o temo o mais do mesmo e como estou meio saturada desse tipo de estória mas confesso que me deu uma pontinha de curiosidade pra saber como será o desenrolar dessa amizade entre Elizabeth e Tristan e a pequena Emma,por hora irei passar essa leitura,quem sabe mais pra frente eu decida dar uma chance e pegue essa leitura :)

    http://livroaoavesso.blogspot.com.br/2016/07/resenha-seducao-da-seda-loretta-chase.html#comment-form

    ResponderExcluir
  13. Oi Dai, tudo bem?
    Sabe que eu já ouvi falar muito desse livro, até sempre senti uma certa vontade em ler ele, mas não sabia exatamente do que se tratava. Adorei ver a sua resenha e descobrir que ele é um livro marcante que trás uma mensagem boa. Eu sou suspeita de falar pois amo livros assim, e sua resenha está muito bem escrita e fiquei com mais vontade de ler ainda. Com toda certeza lerei em breve.

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  14. Oi, Daiane!
    Estou lendo esse livro, ele era um super desejado e estava muito curiosa porque amei Sr. Daniels da mesma autora. Ainda estou nas primeiras páginas, mas espero amar a história. :)

    Beijos,

    Rafa [ blog - Fascinada por Histórias]

    ResponderExcluir
  15. Oi, Dai.
    Eu já li excelentes criticas sobre esse livro, mas ainda não me animei a ler.
    Nada contra o livro, mas apenas pelo fato de que tenho muito livro aqui na estante esperando por uma chance e não tenho como comprar nada novo por enquanto!!
    De qualquer forma vou anotar a dica para o futuro!
    beijos
    Camis - Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir