Ela estava no topo. Encontrou o amor. Perdeu tudo…
E descobriu que precisava descer do salto para seguir em frente!
Leila Dias Watson é uma estilista rica, bonita, famosa, viciada em trabalho… e solitária. Mas está indo muito bem assim, pelo menos é o que ela imagina. A única relação sólida que ela mantém, além da amizade com Bárbara e Dolores, é a de amor e ódio com seu terrível salto agulha.
Com quase trinta e seis anos e uma vida sistematicamente planejada, a única coisa que Leila espera é se tornar sócia na empresa Atlas, pela qual se dedica há muitos anos. O que ela não imagina é que os ventos podem soprar forte, trazendo surpresas e provocando reviravoltas.
Acima do Salto Agulha fala sobre a vida de uma mulher bela, inteligente e bem-sucedida, mas reclusa, que é obrigada a passar por mudanças e descobre ser possível ir além do planejado. Muito mais que história de amor entre um homem e uma mulher, essa é uma história de amor pelas amigas, pelo trabalho… Uma história de perdas, e de segundas chances.
Acompanhe a jornada de Leila!


 Onde comprar: Loja Editora Coerência 


Ficha Técnica do Livro
 Páginas: 197 | Gênero: Romance, Chick lit  | Formato: Impresso | Editora: Coerência | Idioma: Português | Ano: 2016







Acima do salto agulha é o romance de estréia da gaúcha Aline Cabral, nesse vasto mundo literário. Uma história que me cativou logo nas primeiras páginas, com um enredo leve e ao mesmo tempo emocionante, e não posso deixar de dizer que também é surpreendente. A capa está linda demais, fiquei uns bons minutos namorando essa obra de arte. A Editora Coerência está de parabéns pelo maravilhoso trabalho.

Leila Dias Watson é uma famosa estilista, determinada, audaciosa, perspicaz e totalmente viciada em trabalho. Ela acredita que não precisa viver nenhum romance para se sentir bem, ou melhor, se sentir viva. Para ela, alguns encontros casuais bastam para se sentir satisfeita, além de manter uma relação de amor e ódio com o seu salto agulha. Por ter se empenhado ao máximo para chegar onde está hoje, Leila acabou se tornando uma pessoa prepotente e arrogante, e como consequência, afastando as pessoas ao seu redor, mas, ainda assim, ela tem suas fieis amigas, Lola e Barbie, que vivem aconselhando-a para que desça do salto e aproveite mais a vida.

“- O que tem de mais em eu ser dedicada à minha carreira? Qual o problema nisso? Leva-se tempo pra chegar aonde eu cheguei. Se paga um preço.”
“Dama de gelo. É assim que me chamam na empresa. Ou apenas DG, as iniciais.”

A noite em que Leila desceu do salto e se permitiu curtir o momento, sem regras e exigências, tinha tudo para terminar em um desastre completo, mas as coisas tomaram um novo rumo, e eis que “a princesa encontrou seu príncipe”. E então, quando sua vida amorosa resolve dar uma guinada, e ela percebe que, enfim, Ryan deu um novo sentido a sua história, vem o destino e dá uma rasteira em sua vida. Agora Leila precisa se reerguer, ajustar seu foco e traçar um novo caminho.

“Em uma noite desastrada, conheci o homem que me surpreende e me faz querer ser feliz.”
“A minha história com Ryan me ensinou que tudo na vida é transitório. A minha história na Vila dos Pomares tem me ensinado a olhar para os detalhes do dia; a rotina tem se estabelecido lentamente. Outros vizinhos, outros cheiros, novos planos.”

Acima do salto agulha tem uma trama envolvente e muito bem elaborada, e que vai muito além de uma simples história de amor entre um homem e uma mulher, ela retrata também a questão do amor a vida e aos amigos. Um romance que me deixou encantada, e quando terminei a leitura ainda fiquei pensando na história, em tudo que Leila passou, toda a tristeza e a superação, e fiquei torcendo fervorosamente por ela, como se eu a conhecesse e qualquer dia desses fosse encontrá-la em algum lugar e bater um super papo. Sinceramente, no fim, eu sentia que fazia parte da vida da personagem. Impressionante!

Esta é uma história que, acredito eu, retrata a vida de muitas mulheres, profissionalmente falando, porque cada vez mais pensamos e buscamos sucesso profissional (me incluo nessa lista). Isso nos faz pensar sobre esse mundo moderno, a busca constante de nossa igualdade em relação aos homens, a cobrança e a pressão que sentimos da sociedade e muitas vezes a discriminação (não estou dizendo Leila passa por isso, só é um ponto a se pensar, ok?), o que nos faz lutar para sermos reconhecidas em todos os aspectos. Vamos ser sinceros? A mulher tem uma jornada dupla, casa e trabalho, e não é tão fácil assim conciliar as duas “carreiras”, principalmente depois que vem os filhos (ainda não tenho, porém vejo a luta de muitas amigas). Só não podemos deixar de lado o momento de lazer, aproveitar a vida com a família e os amigos. Então, Leila nos ensina que temos sim que andar em cima de um salto agulha, mas também precisamos aprender a descer do salto e aproveitar ao máximo os momentos de descontração, antes que seja tarde demais.

Aah, mas agora quero falar dessa autora linda, Aline Cabral. Esses dias eu li o seguinte trecho em um livro “Bom mesmo é o livro que quando a gente acaba de ler fica querendo ser um grande amigo do autor, para se poder telefonar para ele toda vez que der vontade.” (O apanhador no campo de centeio – J.D. Salinger), e quando terminei a leitura desta obra tive exatamente essa vontade, queria ligar pra autora e falar “Que livro perfeito é esse, mulher!”. Aline chegou com tudo, estreando da melhor maneira possível, e não posso deixar de dar os parabéns a ela por essa obra espetacular. Parabéns Aline, seu livro é um arraso!

Então é isso amores, tomara que tenham curtido a resenha e que leiam esse livro sensacional.

Até a próxima. Beijos!










Sobre a autora:

Aprendeu a ler em casa, com seus pais, e desde então nunca mais parou. A paixão pelos livros só podia dar nisso: na adolescência começou a escrever músicas, mas logo desistiu já que não aprendeu a tocar nenhum instrumento. Escreveu seu primeiro romance aos dezessete anos, mas só depois dos trinta anos assumiu que escrevia e decidiu levar adiante o sonho de publicar um livro. Além de escritora, é professora do ensino fundamental e artesã. Nasceu no ano de 1984 em Criciúma Santa Catarina. Adora viajar com seu marido, mas sempre volta pra sua terra natal e suas duas gatas.










2 Comentários

  1. Essa capa é uma fofura e tem bem o jeitinho de um chik lit mesmo. Foi bom ler sua resenha, fiquei empolgada com suas considerações. Esse blog me fale qualquer dia desses, toda vez que entro minha lista de desejados aumenta. rsrsrsr

    ResponderExcluir
  2. Que linda resenha, fiquei encantada! Essa capa é super lindinha e a premissa bem interessante. Tá aí, gostei! Dica anotadíssima! ;)

    ResponderExcluir