Miguel sonhava pertencer a algum lugar, enquanto Anne lutava para ser livre. Ele, assombrado por lembranças de um erro devastador, agora com 17 anos, muda-se com seus tios para a pequena cidade no interior de São Paulo chamada Arvoredo. Nova cidade, nova casa e uma nova vizinha: Anne. Ela, a garota apática, que possuía um rótulo negativo na cidade, tinha um sonho que, se realizado, a levaria para longe.
Haveria algo nela, além do que todos diziam?
Com amizade, perdão e amor, a lição mais importante para ele será de que a mão que te levanta pode não ser a de seus pais ou de seu melhor amigo, às vezes, ela pode vir de uma estranha.

Onde comprar:
  Amazon   Loja Editora Angel  

Ficha técnica do livro
Páginas: 184 | Gênero:  Romance; Literatura Brasileira | Formato: Físico; E-book | Editora: Angel | Edição: 1ª | ISBN: 978-85-68744-10-9 | Idioma: Português | Ano: 2015




Estranhos foi um livro que superou as minhas expectativas, estava esperando um romance leve de adolescente, aquela história fofinha sabe, que no final você tem vontade de apertar as bochechas dos personagens e falar “aaah que cut cut, gente!”. Porém, a medida que fui lendo, percebi que não era nada disso, é um livro muito profundo, com ensinamentos e reflexões que precisamos trazer para a nossa vida. 

Miguel, um adolescente de 17 anos, que quer esquecer o passado para poder viver livre das terríveis lembranças que o atormentam. Agora está se mudando com os tios para uma nova cidade, onde ele espera recomeçar e finalmente ter uma vida normal. Mal sabe ele que, dessa vez, seus sonhos se transformarão em realidade. Nova cidade, nova vizinhança, nova vizinha...

Anne, uma garota que, por um rotulo negativo na cidade, sonhava em passar em um teste de bailarina para sumir do lugar onde precisa viver praticamente afastada de todos. Até conhecer seu novo vizinho e começarem uma linda amizade. E é através dessa amizade, que eles irão perceber que, além da família, o quanto um amigo é importante nos momentos mais difíceis, irão compreender que muitas vezes, a gente precisa perdoar ao próximo, como a si mesmo, e vão sentir o mais lindo de todos os sentimentos que é o amor.

“... Tocar nas impurezas não as faria se soltarem mais ainda do lodo? Sim. Não existe outro meio, você terá que nadar até lá, nas águas profundas e escuras e libertar todos os seus temores, todas as suas dores e alguns de seus amores. E, quando tudo estiver boiando na superfície, o mar irá transbordar. Mas está tudo bem, vai ficar tudo bem. Vai ficar tudo limpo agora, o sol aquecerá a água e a vida voltará. ”
“Um fato é que um vaso quebrado pode ser colado, mas as rachaduras sempre estarão à vista. Eu sabia o que era ser julgado pelo meu erro e não pude deixar de pensar em como era para Anne conviver com toda a cidade julgando-a.”

Uau! Foi com essa expressão que terminei a leitura. Um livro leve e ao mesmo tempo intenso e com personagens que me cativaram logo nos primeiros capítulos. Narrado em primeira pessoa e na visão de Miguel, a autora aborda, além do romance, sobre uma doença que muita gente não leva a sério, e as pessoas que tem, normalmente, não se tratam, essa doença é a depressão. 

"A depressão é um transtorno de humor no qual uma pessoa tem pensamentos de extrema tristeza, desesperança e/ou desespero, e esses sentimentos costumam interferir com a vida diária, tais como trabalhar, comer ou dormir. Estes sintomas devem persistir durante pelo menos duas semanas, para satisfazer o diagnóstico para a depressão.” (Fonte: Escola Psicologia - acesso em:02/11/2016)

Este é um assunto muito sério, ainda mais nos tempos de hoje, onde as pessoas já não se importam tanto com as outras. Os nossos dias são tão atarefados, que a gente não consegue parar para dar atenção ao próximo, fazer o bem, além de cuidar da nossa mente, curtir realmente com a família, com os amigos.

Eu acredito também que estamos em um mundo tão crítico, que fazemos o possível para se encaixar e acabamos nos tornando uma pessoa que a gente não é, e isso é frustrante. As outras pessoas precisam te aceitar com todas as suas qualidade e defeitos, lembrando que você também precisa aceitar os seus defeitos. Bom, eu penso que se todos amassem os outros como a si mesmo, o mundo seria melhor. 

Enfim, um livro que se tornou um dos meus favoritos, porque me fez pensar e rever muitas coisas. Sabe quando você precisa ler/ouvir certas palavras para abrir seus olhos? Foi exatamente assim com esse livro. Foi uma leitura, realmente, tocante! Então, só dois pequenos detalhes que não gostei muito. Primeiro foi a capa, a qualidade da impressão não está muito boa, a imagem não ficou tão limpa e nítida quanto essa imagem que vocês estão vendo aqui. E também encontrei alguns erros de ortografia, nada que uma segunda revisão não resolva. Tirando esses detalhes, o enredo é muito bom e a autora tem escrita muito envolvente. Recomendo a leitura! 

“- Estamos sempre sendo vistos e analisados de perto, com pessoas esperando pelo dia em que desistiremos de nadar. Ao menos sendo um peixe, eu teria uma bela cauda.”

“Família são todos aqueles que te amam, que cuidam de você. Eles podem não ter o seu sangue, podem ser apenas amigos, podem ter te adotado, não importa. Família são aqueles que estão lá, que sempre estarão lá. Sempre, não importa o que aconteça. ”


 


Sobre a autora:






Desde criança a paulista Beatriz Christine tinha o sonho de viver fazendo o que mais gosta: criar histórias.Incentivada por professores, passou a dedicar-se com prazer á este mundo encantado e, apesar de dividir seu coração com a faculdade de Arquitetura e Urbanismo, não desistiu do sonho de infância.Após publicar pequenos textos na internet, recebeu o apoio que faltava para tomar a decisão de publicar seu primeiro livro.










4 Comentários