Sinopse: Após flagrar o seu atual namorado com outro cara - não, você não leu errado - e constatar que o safado tinha um gosto para homens até melhor do que o seu, Eva se arrepende por ter abandonado a família, o gato, o emprego, os amigos e até e o país para segui-lo e decide que é hora de voltar para a casa, com o rabo entre as pernas, um mau humor feroz e sem um tostão no bolso. Mas ao contrário do que imaginou não é recebida com faixas e balões, muito menos com boas-vindas e sim com mais e mais azar - como se não bastasse todas as vezes em que foi traída, abandonada pelo circo ou roubada por alguma estrela errada -, seu irmão acabou com seu carro novo, seu pai se casou, ela ganhou duas quase irmãs indesejadas, seu melhor amigo roubou seu gato e ainda de quebra arrumou uma namorada.Embora a vida em casa não esteja como deixou, Eva é obrigada a seguir em frente e lidar com a situação como uma mulher adulta. O que em seu dicionário quer dizer se embebedar, distribuir socos e grosserias a quem quer que esteja ao seu alcance e recuperar seu gato - a qualquer custo -, nem que para isso precise roubá-lo de volta.
O que desconhece é que o destino iria lhe preparar uma surpresa, lhe oferecendo algo que não poderia ter, um amor proibido. Será ela corajosa o suficiente para lidar com mais um coração partido, mesmo que seja pela estrela mais brilhante do céu?

Onde comprar:  Amazon  

Ficha técnica do livro
Páginas: 383 | Gênero:  Romance; Literatura Brasileira | Formato: E-book | Edição: 1ª | ASIN: B01N06KASG | Idioma: Português | Ano: 2016




Pera, só mais alguns dias para eu me reconstruir... Pronto! 

Ei galera, cá estou de volta, e não poderia ter voltado em tão grande e sofrido estilo. Antes de qualquer coisa quero ressaltar que estou de coração partido, então se falar alguma bobagem, por favor, desconsiderem... ou não rs.

Pensem numa bad literária. Pois então, me encontro na pior delas! Caçadora de Estrelas acabou comigo em vários sentidos. Essa foi uma história que me pegou num momento sensível, e que me fez reparar um pouco mais em alguns aspectos da vida. Eu estou destruída, renovada e nas nuvens.

Quando a Dai me passou esse livro, com todo seu medo de um coração mole que não aguenta tanto sofrimento, eu imaginei que seria mais uma história triste, daquelas que eu amo, mas confesso que não esperava uma história tão linda, tão cheia de força, de realidade, de tristeza e de amor, muito amor. E quando a coisa começou a pegar, lá estava eu no Zap chorando as pitangas para a Dai, que mesmo sem ler já estava sofrendo comigo kkk. Durante a leitura sempre estava falando com ela, dando spoiler, e fazendo a "bixinha" (que não queria sofrer) sofrer mesmo assim. Me perdoa amiga, mas foi demais pra mim, tive que dividir com você essa tristeza linda.

Bom, vocês devem estar pensando: Nossa, mas a história é tão triste assim? Acho que posso estar exagerando um pouquinho, pois ainda estou com as emoções a flor da pele. A história é triste, mas muito mais linda, encantadora e aposto que, para algumas pessoas, terá um significado muito maior do que apenas uma linda leitura. Assim como foi pra mim, pois ela nos faz perceber o quanto a vida é frágil, passageira e o quanto precisamos, com urgência, dar mais valor a ela.

Tudo começa quando Eva sofre mais uma de suas decepções amorosas e decide, mesmo morrendo de vergonha, voltar para o Brasil e retomar sua vida. Gente, essa Eva não é de Deus, pelos menos até a metade do livro eu tive vontade me estrangular essa garota. Pensem numa mulher marrenta, egoísta, cheia de vícios, manias e vontades. Bom, confesso que me identifiquei com ela em alguns momentos, afinal, um belo Hambúrguer também me tira o mau humor fácil kkkk. 

“Meu cupido só pode ter morrido, ou então ele tem um senso de humor negro e cruel. A única coisa de que tenho certeza é de que ele me odeia e o sentimento é recíproco, se um dia eu topar com ele juro por Deus que a flecha vai parar na sua bunda antes do fim do encontro, faço questão, já que ele não acerta aquela porra uma vez sequer no alvo certo.”

Além desse lado difícil da Eva, com toda essa personalidade forte, ela se mostrou ser uma mulher e tanto. Sempre dona de si, fazia o que achava certo, enfrentava o que e quem fosse preciso para fazer o que tinha vontade, defendia sua família e amigos com unhas, dentes, socos, taco de beisebol e muito mais. Porém por trás dessa marra toda, existia uma mulher carente e frágil como um vaso de barro. Uma mulher que só Gabriel compreendia, de uma maneira encantadoramente fascinante. Uma mulher que apenas Gabriel teve o poder de transformar.

“— Eu vou ficar porque meu egoísmo é menor do que meu amor.” – Eva.

Gabriel... gente, é até difícil de encontrar adjetivos para descrever a grandeza desse personagem. Meu Deus, ele me deixou apaixonada já em sua primeira aparição. Ele é daqueles personagens que assim que conhecemos já sabemos que será incrível. Gabs me deixou sem palavras na maioria das vezes, sem fôlego em alguns momentos e totalmente destruída em outros. A gente que lê viaja, se apaixona, entra dentro da história, e com esse personagem eu tive uma identificação muito grande. Gabs é o tipo de pessoa que eu adoraria que existisse na vida real, que eu amaria conhecer e conviver. É aquele ser de luz que todas as pessoas do mundo deveriam ter o prazer e oportunidade de ter em sua vida. 

“Ando de um lado para o outro no jardim sentindo-me perdido, como se faltasse alguma coisa dentro de mim, um pedaço. Algo que me fizesse funcionar melhor, ser mais feliz e que eu simplesmente deveria ter. Estou cansado dessa sensação sempre quando fico perto dela, porque é ela, só ela que me falta para ser completo.”

Ele é o melhor amigo da Eva. Aquele amigo de infância que estava sempre ao lado dela quando ela mais precisava, e quando não também. Ele foi seu pilar desde as fraldas. Foi ele quem a consolou quando seu coração foi partido pela primeira vez, e todas as outras também. Ele quem levou seu primeiro absorvente, ele que a deixou dirigir seu carro pela primeira vez, ele que a livrou da cadeia por diversas vezes, ele que a amou incondicionalmente desde o primeiro momento. A amou calado, em silencio, em segredo. A viu se apaixonar por cada carinha, e pior, deu colo a ela e a reconstruiu toda vez que eles quebraram seu coração. Foi ele que sonhou a cada dia da sua vida em ter aquela mulher para ele, em poder ama-la do jeito que ela merecia, em poder cuidar dela e nunca mais fazer aquele coração sofrer. E ele amou, ele cuidou, mesmo quando ela não merecia, e quando ela menos merecia, era quando ele mais a amava.

“(...) — Filho, não a deixe sozinha. Eu jamais faria isso. Assenti concordando e peguei na mão da Eva. Eu não soltei. Nem quando minha mãe mandou que entrássemos no carro, nem quando chegamos em casa e nos sentamos no sofá, nem quando Fernando chegou para buscá-la. Eu não soltei e ela não falou, apenas segurou mais forte na mão que jamais soltaria a dela.”

O amor de Eva por Gabriel sempre esteve lá, mas aquela cabeça dura dos infernos demorou muito para perceber, mas quando percebeu, ahhh, ela fez questão de toma-lo pra si, porém a vida nem sempre é como queremos. Nossos planos nem sempre são os mesmos planos de Deus, do Universo, dos Deuses...

“Ah o tempo... Nós o jogamos fora todos os dias acreditando que ele vem de uma fonte inesgotável. Sempre terá mais um segundo, mais um minuto, mais uma hora, mais um dia...” – Gabriel.

Então, quando esses dois finalmente caem nos braços um do outro e deixam com que o amor, que eram deles desde o nascimento, tome conta de suas vidas, tudo fica tão lindo, magnífico, tão intenso, tão emocionante, tão triste... Aí chega a parte que eu me calo e apenas digo: Leiam esse livro!

Caçadora de Estrelas me emocionou e mexeu comigo de uma maneira diferente. Não foi uma emoção branda, não foi apenas olhos marejados, foi uma emoção ardida, um choro de lavar o rosto, de deixar os olhos inchados, uma sensação meio que boa e ruim ao mesmo tempo. Algo inexplicável. Eu quis matar a Raiza, mas me dei conta de que uma pessoa com tanta sensibilidade, tanto talento, tanto amor para passar para suas leitoras, merece viver muito rs.

Os personagens são incríveis. Eva e Gabs são rodeados de pessoas do bem, que os amam acima de tudo. Claro que existe aquela mala sem alça, né Alice!? Kkk Mas que acabam se rendendo a tanto amor e bondade. Tenho que destacar o amorzinho do Pai da Eva, gente que pai mais fofo. Também não posso deixar de falar de Adam, o irmão dela e melhor amigo do Gabs, Lívia, a amiga e cunhada, Rafael, amigo do Gabs e Benjamim, amigo do casal e um dos ex filho da puta da Eva. Ahhh que turma preciosa! 

Benjamim também ganhou seu lugar em meu coração. Quem dera se todo ex se tornasse um anjo em nossas vidas, assim como ele foi para Eva e Gabriel.

“— O que vocês têm é algo que eu não entendo, sequer cogito entender, é maior do que tudo.” – Benjamim.

Uma história de amor, crescimento, autoconhecimento e muito aprendizado. A história que ganhou lugar especial em minha livraria e principalmente em meu coração.

Raiza, a única coisa que posso lhe dizer nesse momento é que você simplesmente arrasou!

Eva, está precisando de mim aí?





Sobre a autora:




RAIZA VARELLA, nasceu em São Paulo, Capital. É apaixonada por livros e animais quase tanto quanto é apaixonada por Supernatural, Dr. House e fast-food,quase! Tem preferência por filmes com finais felizes e ainda teima em acreditar em contos de fadas, abóboras e fadas madrinhas, com tanto que decidiu escrever seu próprio livro, O garoto dos olhos azuis é seu primeiro romance. Formada em direito e fissurada por amores impossíveis, mora na cidade natal com o marido, filho, dois cães e três gatas, todos cheios de personalidade própria.







 


3 Comentários

  1. Uau, que resenha linda!!! Meu olho até marejou aqui porque vi nas suas palavras o que eu realmente quis passar para os leitores com essa história e é sempre gratificante ver alguém que sentiu lendo o que eu senti escrevendo, então muito Obrigada! <3

    ResponderExcluir
  2. Eita, que resenha linda e inspiradora! Fiquei super curiosa para conhecer a obra! Parabéns pelas lindas palavras, me convenceu a ler rsrsrsrrs

    ResponderExcluir
  3. Chorei de novo!! Esse livro foi o penúltimo que li em 2016, quando comecei indiquei para a minha irmão, então compartilhamos todos os sentimentos e lágrimas derramadas. Segundo livro da Raiza que leio, ela sempre maravilhosa!! Indico!!

    ResponderExcluir