Sinopse: Os Dimitriades são uma das famílias mais influentes de toda Grécia. Seus nomes, respeitados em meio ao cenário político ateniense. Vivendo em meio a intrigas e disputas, eles ignoram o fato de que inimigos estão à espreita, esperando o momento certo para dar o xeque-mate.
Invasão a ala do rei
Magno Dimitriades via seu irmão e parceiro de noites se afastar cada vez mais, tudo por causa da dissimulada Ártemis Tarasios. A autoconfiança dela mostrava que Ártemis sabia que tinha as peças certas em seu poder para sair vitoriosa daquela situação. Muito corajosa, não tinha medo de enfrentá-los, mas Magno não permitiria que o jogo de sedução daquela pistoleira fragilizasse ainda mais a relação de sua família. Estava decidido a desmascarar Ártemis de uma vez por todas. Era um jogador habilidoso, sabia bem como tirar um peão de sua ala.
Ares Dimitriades é o único herdeiro de uma das maiores fortunas da Grécia. Por causa dessa herança, vivia um verdadeiro inferno com o pai, Dominic, que não aceitava a sua nomeação. Com fama de conservador, o ministro Dominic Dimitriades sempre tentava mostrar sua família como exemplo a ser seguido, porém, Ares e Magno não costumavam cooperar com suas expectativas. Outra coisa que Ares não entendia era por que Dominic nutria tanto ódio por seu avô já falecido; algo lhe dizia que havia segredos no passado, os quais o pai não queria revelar. Dominic não parecia disposto a esclarecer, havia outra preocupação em sua vida: tentar se livrar de mais uma pistoleira que queria usufruir de tudo que era seu. Mas ela não conseguiria; dessa vez não erraria a jogada e Ártemis seria peça fora do tabuleiro.

Onde comprar:  Amazon  

Ficha técnica do livro
Páginas: 380 | Gênero:  Romance; Literatura Brasileira | Formato: E-book | Edição: 1ª | Editora: Planeta Literário | ASIN: B01N1LK6GN | Idioma: Português | Ano: 2016




Ártemis é filha única, tem 24 anos, é muito amorosa e dedicada. Vivia no campo com seus pais, mas foi para Atenas em busca de ter mais oportunidade de trabalho e estudo. Cursava economia e trabalha na lanchonete da faculdade para conseguir arcar com as despesas de sua nova vida. 

Ares Dimitriades não pensava em se relacionar seriamente com ninguém até conhecer Ártemis. Ela o conquistou por ser uma mulher íntegra, comedida e honesta, porém por serem de diferentes classes sociais Ártemis sempre ficou desconfiada do motivo que levou Ares a escolhê-la. Ele só queria se divertir, não? 

Magno Dimitriades estava decidido a revelar ao seu irmão o quão pistoleira era a mulher com a qual estava se relacionando. E tentou de todas as formas tirar Ares das “garras” de Ártemis, inclusive acusando-a de querer se aproveitar da fortuna da família. Contudo, Magno estava tão cego com as acusações que fez a Ártemis, acreditando veemente em todas elas, que não percebeu que a cada dia ficava mais apaixonado pela jovem. Não vamos julgá-lo, ok?! Ele tem seus motivos para pensar assim. 

“Era melhor ficar de olho em Ares, às vezes ele podia ser muito ingênuo. Tinha o péssimo hábito de confiar demais nas pessoas. Para certificar a integridade do irmão, teria que descobrir quem era a tal Mel.” 
“... Ares a compreendia, a ouvia, confiava nela. Magno era tão diferente, lamentou. Estúpido, imbecil, idiota...” 

Bom, a história vai muito além desse triângulo amoroso. Temos o pai de Ares e Magno, Dominic, que não aceita que seu pai, o avô dos meninos, deixou toda a herança para seu filho mais velho, Ares. Ele não podia aceitar, aquela herança era sua. Ele sim tinha todo o direito por aquele dinheiro. Não por querer ser mais rico, mas sim porque o dinheiro pertencia a sua mãe e no fundo, Dominic sabia que seu pai não a amava. E agora ele não deixaria que uma “aproveitadora” e “golpista” tentasse colocar as mãos nessa fortuna. E o que ele faz para tentar acabar com Ártemis trará grandes consequências para a sua vida e a de seus filhos. 

“... mas acredito que Deus nos dá aquilo que podemos carregar. A dor que podemos suportar.” 

O que me fez adicionar esse livro no meu aplicativo da Amazon Kindle foi a capa. Sim, a capa foi o que me chamou mais atenção. Fiquei imaginando uma história cheia de intrigas, dramas, muita ação e aquele romance que te faz cair de amores pelo mocinho. Porém, quando terminei a leitura não senti tanta emoção quanto eu esperava, mas a história é muita boa, com seus altos e baixos que me deixaram na corda bamba.

Sabe quando você começa a ler e já pensa assim: “Já entendi tudo”?! Mas então, lá pelo meio do livro a história tem uma reviravolta, e aí eu pensei: “Não entendi nada, gente. Como assim?!” (kkkkk). A partir daí a trama começou a ficar boa para mim e não desgrudei mais os olhos do livro, precisava entender tudo o que estava acontecendo. 

Apesar do enredo ter me cativado gradativamente, infelizmente, eu não consegui me aprofundar pelos personagens, não aconteceu a empatia com eles, entende? Também fiquei confusa em algumas cenas e isso me deixou perdida no início, tornando minha leitura um pouco cansativa. Tirando essa parte, gostei muito da história. A autora conseguiu criar um enredo muito inteligente, interessante e diferente. E com uma narrativa em terceira pessoa, conseguimos ter a noção de tudo o que está se passando na história. 

Finalizando, A Fortaleza é uma trama que vem com muitos segredos e eu acreditava que a autora desvendasse todos eles nesse primeiro livro. Mas, oh! Como eu sou iludida! (kkkk) O livro tem continuação e teremos que esperar os próximos volumes para desvendar todos os mistérios desta história. Aguenta coração!

Aqui fica meu convite para você conhecer a obra da querida Shay Nuran. Se entregue a leitura e depois vem me contar o que achou. Uma coisa eu garanto, as reviravoltas dessa trama vão te deixar surpresa! 

“ – Um homem não pode ser feliz enquanto pensar nas consequências!”






Sobre a autora: 

Shay Nuran é Turismóloga e nasceu em Recife. Desde criança envolta na cultura pernambucana se sentiu motivada a conhecer outras.
Depois que se formou em turismo, decidiu desafiar a si mesma e partir para Istambul, conhecer o berço da humanidade e experimentar um pouco da cultura que aprendeu a admirar.
Shay ainda pretende fazer outras muitas viagens e se encantar ainda mais com a beleza que o mundo tem a oferecer.
Começou a escrever em 2008 e A Fortaleza foi seu primeiro livro, seguido de Possuídos pela Paixão e Amor em Istambul.
Adora música grega, turca e árabe que ouve sempre em suas aulas de dança do ventre. Jogar conversa fora com os amigos sempre lhe traz inspiração para suas histórias.

Saiba mais:  Site | Fanpage







Deixe um comentário: