Carina é uma workaholic rica e bem-sucedida cuja vida se resume ao trabalho. Afogada em estresse, ela não se importa com a solidão que habita seu coração, pois o amor nunca foi uma das suas prioridades, até que algo inusitado acontece. Repentinamente, ela se vê privada do trabalho e deseja aplacar a solidão que a consome, principalmente quando conhece Aurélio, que a trata de uma forma diferente da qual ela está acostumada. Consumido pela tragédia que vitimou sua família e deixou-lhe sequelas físicas e emocionais, Aurélio não quer nada além de se afundar cada vez mais na dor e na culpa que sente. Suas certezas começam a ficar abaladas à medida que Carina se aproxima cada vez mais dele. Quantos obstáculos precisam ser vencidos para recomeçar? O amor é capaz de vencer as amarras do passado e o preconceito?

Onde comprar:  Amazon    Saraiva    Livraria da Folha   

Ficha técnica do livro:
Páginas: 432 | Gênero:  Romance; Literatura Brasileira | Formato: Físico | Editora: Pandorga | Edição: 1ª |  ISBN: 9788584421350 | Idioma: Português | Ano: 2016




“A vida tem muitos mistérios que, nem sempre, somos capazes de compreender, mas é importante que sejamos capazes de reconhecer e agarrar a chance de recomeçar quando ela surge em nossa vida.” - Diana Scarpine


Há dez anos, Aurélio viu sua vida desmoronar sem poder fazer absolutamente nada para impedir. Em um acidente de carro que lhe deixou sequelas físicas e emocionais, ele perdeu sua amada esposa, Amália, e sua filha, Talita. Devido ao acidente, Aurélio ficou cego e com inúmeras cicatrizes pelo corpo e rosto, e ainda enfrentou uma terrível depressão. Mesmo passando-se vários anos, ele não aceita a perda de sua família, culpa-se pelo ocorrido, pois estava dirigindo o veículo, e por isso, vive amargurado, sem perspectiva e sem vontade de viver. Mas, quando menos espera, sua vida escura e vazia muda novamente; eis que o destino topa – literalmente – seu caminho com a de Carina. 

“Esse era o meu mundo: completamente escuro e sem sentido. Eu era como um tronco de árvore morto e castigado pelo fogo, do qual restara apenas a casca carbonizada e negra, sem nenhum resquício de vida, sem nenhuma possibilidade de voltar a viver. Até que, um dia, alguém desperto minha curiosidade nessa paisagem desolada.” 

Carina é uma workaholic assumida. Rica, bem-sucedida, herdeira de uma grande rede de supermercados e executiva, ela vive para o trabalho, sua vida pessoal e amorosa é inexistente. Ela é jovem, mas não vive como uma; não tem amigos, nem tanto contato com a família, não tem vida social e nem pretensão de ter casos amorosos, sua autoestima é baixa e não se importa muito com sua aparência. Devido ao estresse do trabalho excessivo, a saúde de Carina é afetada; uma paralisia facial, ocasionada pela exaustão mental e física, a afasta do seu dia a dia tumultuado e de seu precioso trabalho. Depois desse choque, do qual não estava preparada para enfrentar, ela acaba revendo as coisas que tem prioridade em sua vida, e a cada dia mais, se vê afogada em um mar de solidão que vem consumindo-a lentamente. Mas, tudo muda quando conhece Aurélio, seu novo massoterapeuta, que desperta nela uma inexplicável ligação. 

“Eu sempre acreditei na beleza interior, sempre achei que essa é a beleza verdadeira, pois ela é permanente e pode se tornar ainda maior. A beleza física é passageira e ninguém a tem durante toda a vida. (...) Além disso, acredito que a beleza e a feiúra são duas faces da mesma moeda: há sempre beleza na feiura, e feiura na beleza.” 

Os primeiros encontros de Aurélio e Carina são marcados por equívocos, mas, mesmo assim, eles ficam intrigados um com o outro. Pouco a pouco, Carina vem se fazendo cada vez mais presente na vida de Aurélio, o que o deixa arredio e sem saber como agir. Quando percebe o caminho que as coisas estão tomando, que seus sentimentos estão confusos e que suas certezas estão ficando abaladas, ele tenta afastá-la de qualquer jeito. Aurélio não consegue entender como Carina pode sentir-se atraída por ele, afinal, não é mais o homem que foi um dia e não possui mais nenhum atributo físico atrativo. Ele ainda vive preso ao passado, seu coração pertence à Amália e nunca mais poderia dá-lo a nenhuma outra mulher, mesmo que Carina lhe desperte interesse. No entanto, Carina está determinada a permanecer em sua vida; está disposta a lutar quanto puder para quebrar todas as barreiras e provar que ele tem sim, uma chance de recomeçar. Esse casal nos provará que o amor verdadeiro se enxerga com os olhos do coração e fala a linguagem da alma. 

“- Não. Você não é um monstro. É um homem que possui algumas cicatrizes e que não deve se deixar tolher pelo preconceito. A melhor maneira de combater o preconceito é enfrentá-lo de frente, e não recuar (...)” 

Descrito com muita sensibilidade, UMA CHANCE PARA RECOMEÇAR nos apresenta em enredo emocionante, que fala sobre preconceito, diferença social, superação, aceitação, fé, perseverança e recomeço. Diana Scarpine criou uma obra tocante, reflexiva e repleta de emoções, que vai muito além do romance e que é capaz de despertar diversos sentimentos no leitor. É impossível não se sensibilizar pelo sofrimento de Aurélio, que é um personagem complexo e instável. Um homem que teve sua família tirada de forma trágica, que enfrentou na pele o preconceito, que lutou contra o desgaste emocional e que achava que nunca teria a chance de recomeçar. Mas, não nego, ele me irritou muitas vezes. Já Carina, com seu jeito doce e tímido, porém forte e determinado, lutou contra a solidão, contra seus complexos e contra tudo e todos que se colocaram na frente de seu amor por Aurélio, incluindo ele próprio. Não posso dizer que o relacionamento deles foi flores e coraçãozinhos, pois foi o completo oposto. Em alguns momentos, senti até um pouco de enfado, porque a comunicação entre eles era difícil, o que gerava inúmeros mal-entendidos. Tanto Carina quanto Aurélio, nunca falavam o que estavam verdadeiramente sentido, às vezes agiam com base no que achava que o outro estava pensando, então, já viu né, vários desentendimento e mágoas sem necessidade. Minha vontade era de entrar no livro, trancá-los em um quarto e dizer: “só sairão daí depois que conversarem às claras, admitirem seus sentimentos verdadeiros sem omitir nada”

“Descobri que a escuridão não é não enxergar, e sim desistir de viver, como eu havia desistido. Por mais que relutamos, muitas vezes, é preciso recomeçar! Eu demorei muito tempo para entender isso, por acreditar que não havia como reconstruir a minha vida e superar a dor que eu sentia.” 
“Eu estava preso em uma espécie de limbo cheio de dor e culpa, e você me libertou! Você devolveu-me a felicidade!” 

Apesar da trama ser extremamente prazerosa, a leitura tornou-se um pouco cansativa em determinados momentos, e até repetitiva, na minha opinião. Isso não apagou o brilho da história de forma alguma, só fez com que eu lesse um pouco mais devagar. Em suma, a obra me tocou de várias formas possíveis, me fez refletir e ficar com o coração transbordando amor. A autora está de parabéns pelo belo trabalho, sua escrita é brilhante e delicada. O físico do livro também conta muito, e este está simplesmente primoroso. Se você procura uma história que tenha uma carga emocional densa, que mexa com seus sentidos e que te faça renovar sua crença no amor, aquele que é puro e genuíno, eu tenho certeza de que esse livro irá te conquistar, assim como me conquistou. 

“(...) mesmo se o futuro por vezes se mostrasse dúbio e obscuro como o céu em um prelúdio de tempestade, sempre teríamos uns aos outros e o amor que nos une e nos torna mais fostes para enfrentar todo e qualquer percalço da vida. Não há tormenta capaz de ocultar para sempre o Sol.”





Sobre a autora:




Diana Scarpine é baiana da cidade de Jequié, possui graduação em Ciências Biológicas (UESB), mestrado em Enfermagem e Saúde (PPGES/UESB) e atualmente cursa doutorado em Política Científica e Tecnológica pela Unicamp (PPGPCT/Unicamp), no qual tem se dedicado ao estudo da deficiência e da Tecnologia Assistiva. Apaixonada por literatura, escreve desde os treze anos de idade, transitando entre a prosa e a poesia. Além de “Uma Chance para Recomeçar” (Pandorga, 2016), é autora de “Entrelace: Caminhos que se Cruzam ao Acaso” (2012).

Acompanhe seu trabalho: Blog | Facebook | Twitter | Skoob









28 Comentários

  1. Dai adorei a resenha. A sinopse noa passa bastante emoção, mas suas palavras definitivamente me transportaram para o cenario do livro.
    Adorei❣❣❣
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Linda resenha, Dai!
    Muito obrigada!
    Abraço,
    Diana Scarpine.

    ResponderExcluir
  3. Olá! Nossa, que lindo! Adorei a premissa do livro. Me parece ser uma história bem tocante e delicada. Anotei a dica!

    Bjbjbjbj

    ResponderExcluir
  4. Oi, Dai!
    Adorei sua atitude de como resolver o problemas dos protagonistas. É bem provável que eu faria mesmo. rsrs... É bem chato quando os personagens insistem em bater na mesma tecla, no caso, quase nunca tem uma evolução. Não sei se eu leria o livro por conta desses momentos desnecessários. :/
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  5. Olá,

    Realizei essa leitura alguns dias atrás também e como você fiquei encantada com a história, realmente por ser um livro mais extensos, as vezes parecia que a narrativa ficava muito repetitiva, mas gente o Aurélio também não se decidia e a indecisão dele foi a única coisa que me deixou apreensiva no livro. Também consegui extrair lições valiosas dessa obra e adorei o desfecho. Fico feliz que tivemos impressões bem parecidas.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  6. Oie amore,
    Que blog lindo!
    Que livro mais lindo, essa capa é uma amor, já leria só pela capa pra ser sincera. E quando li sua resenha então fiquei ainda com mais vontade de ler.
    Adoro livros escritos com sensibilidade, e esse já está em minha lista de desejos!
    Só me preocupa essa história de ser uma leitura em alguns momentos cansativa, mas acho que dou uma chance.
    Beijokas!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Eu estou com esse livro da autora para ler, confesso que estou bastante ansioso para conhecer a obra, pois sempre leio resenhas positivas sobre o livro. Gostei muito da sua resenha, pois apesar de como você falou, tem alguns pontos que não lhe agradou, a história em si é muito boa. Parabéns!


    Abraços

    ResponderExcluir
  8. Oi Dai, tudo bem?
    Esse livro está dando o que falar ultimamente nos blogs, hein? E pelo jeito não é à toa. Adorei que a autora tenha trabalhado o romance dos personagens de um modo bem delicado, nos mostrando a dura realidade de Aurélio e todo o seu sofrimento ao perder a família, além de ter que lidar com o preconceito. Imagino que a construção do relacionamento seja bem real e como estou saturada de romances clichês, creio que essa leitura irá me agradar.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  9. Oiee Dai ^^
    Eu tenho visto tanta coisa boa a respeito deste livro ♥ estou bastante curiosa para conhecer, principalmente por ele abordar tantos assuntos. É uma pena que tenha sido uma leitura um pouco cansativa e repetitiva em alguns momentos, mas, ainda assim, parece ter sido uma história que te tocou :)
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  10. Olá, eu já li Uma chance para recomeçar e super concordo com as suas opiniões expressas na resenha, que ficou ótima. Gostei bastante desse livro, principalmente pela ambientação no Brasil e também pela escrita da autora, além do perfil dos personagens.

    ResponderExcluir
  11. Oi, essa não é a primeira vez que eu vejo sobre esse livro, mas é a primeira vez que eu vejo alguém apontar coisas negativas na leitura. Achei muito legal os temas retratados, como a perda, compulsão por trabalho, diferença de classes e mesmo com os pontos negativos eu ainda sim tenho vontade de ler e conhecer esse envolvimento e entre eles. Espero gostar mesmo que não tenha esse ponto de ser um pouco repetitivo!
    Um beijo
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
  12. Oi, Dai

    Essa não é a primeira resenha que leio sobre esse livro. Acho a capa linda e acho a proposta da história encantadora.
    Que pena que vc achou alguna momentos repetitivos, mas o saldo foi bom e é isso que importa.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  13. Olá ♥
    Bom estou com esse livro aqui na minha estante, e ele será minha proxima leitura, não vejo a hora de poder começar. A estória parece ser muito tocante em vários sentidos. Também vi em algumas outras resenhas as pessoas falando que a leitura foi arrastada em algumas partes. A premissa me agrada, e já estou preparando os lenços, pois como sou uma bela manteiga derretida sei que vou chorar muito. ÓTIMA RESENHA ♥

    ResponderExcluir
  14. Mesmo com a carga emocional densa, que é algo que eu adoro em uma leitura, acho que não leria. Sabe, tem algo que me irrita muito e é isso da pessoa agir com base no que acha que o outro está pensando. Fico enlouquecida com livros em que acho que o problema é causado totalmente pela falta de comunicação, foi o que me fez odiar O morro dos ventos uivantes. Por isso, acho melhor passar a dica.

    ResponderExcluir
  15. Olá! Que bom que a história é descrita com muita sensibilidade, que fala de assuntos importantes e interessantes, faz refletir e sentir emoção, e que a trama boa. Pela resenha você realmente gostou do livro e gosta do trabalho da autora. Anotei a dica. Beijos'

    ResponderExcluir
  16. Olá, divido com você as mesmas opiniões da obra de Diana, assim como você me senti tocado pelo enredo, e por esses personagens que tanto tem a nos ensinar. a autora conseguiu trazer uma obra bastante interessante e que foge de muitos clichês. Adorei sua resenha.

    ResponderExcluir
  17. Oie Dai
    Não conhecia esse livro e sua resenha me deixou encantada.
    Adoro histórias que nos deixam algo pra pensar, refletir e ainda divertir.
    Mesmo que tenha dito q há alguns momentos cansativos, acredito que no geral foi uma boa leitura.
    Dica anotada
    Bjo

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    Já tinha ouvido falar muito bem desse livro e a sua resenha só me comprovou isso, A história realmente parece ser maravilhosa, então fiquei me perguntando porque dela ficar repetitiva. Gostei muito da sua dica e vou deixar anotado aqui.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  19. Olá!
    Adorei a premissa do livro e a achei muito interessante, principalmente por falar de preconceito, superação e recomeço, são assuntos que gosto muito; o único problema com esses livro é quando o personagem começa a se vitimizar demais, mas tirando isso é um livro que eu leria com certeza, dica mais que anotada para saber o final dessa grande história.
    Beijos,Lari.
    Segredosdeumacerejeira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Oiii
    Não conhecia esse livro ainda. Gostei muito da história, apesar de saber que não posso esperar uma história de amor convencional. Fico imaginando quantos mal entendidos eles tiveram só por que não se falavam abertamente, da raiva quando personagens são assim, mas da para entender, os dois não tiveram uma vida muito fácil. Gostei muito da resenha e pretendo ler com certeza.
    Beijos

    ResponderExcluir
  21. Oi Dai, como está?
    Já tinha lido uma resenha sobre esse livro e com certeza achei ainda mais legal a premissa dele considerando a tua resenha. Que achei muito linda! Com certeza dá alguma raiva quando os personagens fazem esse tipo de coisa, mas não é como se a vida real fosse muito diferente porque tá bem longe disso. Dica anotada.
    Abraços e beijos da Lady Trotsky...
    http://rillismo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  22. Li várias resenhas desse livro e ele é muito interessante, pois nos mostra um romance que não vem de pessoas perfeitas.

    E mostra um aspecto muito importante de uma relação: comunicação. Ainda mais no caso dos dois, uma vez que o canal de comunicação visual de Aurélio é inexistente, não pode analisar expressões, o que pode ocasionar muitos equívocos. Gostei muito da sua resenha, mostra que a sensibilidade do livro lhe tocou e nos deixou com vontade de lê-lo!

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  23. Oi, tudo bem?
    Eu li o primeiro livro da autora e fiquei apaixonada, tanto que já tenho esse para ler, mas ainda não consegui um tempo para ele. Bom, por conta disso, confesso que li sua resenha bem por cima, pois eu sou dessas que gosta de ler algo em saber praticamente nada da história. Bom, eu já imaginava que seria tudo descrito com muita sensibilidade e fiquei feliz em ver que a autora conseguiu criar mais uma bela história, só é uma pena ter tido momentos enfadonhos.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  24. Oie
    romances são sempre bem vindos, eu leio bastante e sempre gosto muito de conhecer novos, esse ta bem fofo e interessante, gostei da sua resenha e do enredo em geral, quem sabe eu arrisque

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  25. Oi, tudo bem?
    Eu achei que o livro tem uma carga muito boa de conteúdo, mas no momento eu não me sinto apto a lê-lo, entende? Gostei muito da obra e pretendo, sim, efetuar a leitura, mas não no momento. Fico meio receoso por ter partes que deixam a trama lenta, mas mesmo assim irei dar uma chance.

    ResponderExcluir
  26. Estou bastante curiosa com esse livro porque além da sua eu estou vendo muitas resenhas positivas. Me parece mesmo ser um livro emocionante mesmo e essa temática de preconceito parece-me que aqui está bem abordada. Quero ler em breve. Beijos

    ResponderExcluir
  27. Oii!

    Nossa, fiquei completamente apaixonada por Uma chance para recomeçar <3

    Nunca uma narrativa nacional me chamou tanta a atenção sem ao menos eu ter lido a obra, como esta chamou!

    Não conhecia a autora e fiquei muito intrigada com a sinopse do livro. Tomarei cuidado pelo fato de você ter citado que a narrativa fica cansativa e repetitiva. Não vou com muitas expectativas para leitura.

    Dica mais que anotada (:

    ResponderExcluir