Sempre disseram que ela não pertencia àquele lugar. Não sabiam o quanto estavam certos!
Ela era diferente, todos sabiam disso. Todos viam isso. Chorar, rir, sofrer por amar silenciosamente o melhor amigo e não ser correspondida, isso é normal para uma adolescente de 16 anos. Ter olhos lilases, ser chamada de aberração e ser perseguida por desastres, não. No entanto, a vida de Anabelle muda radicalmente quando seu pai, de quem herdou os estranhos olhos lilases, diz quem ela verdadeiramente é. Estará Anabelle preparada para aceitar tamanha reviravolta, e aceitar que nunca foi e nunca será normal?


Onde comprar:  Físico    E-book   

Ficha técnica do livro:
Páginas: 280 | Gênero:  Romance; Fantasia; Juvenil; Literatura Brasileira | Formato: Físico; E-bbok | Editora: Mundo Uno | Edição: 1ª |  ISBN: 9788567218106 | Idioma: Português | Ano: 2016




Aos dezesseis anos, Anabelle é o motivo de piada em sua escola, todos a tratam como uma aberração, nunca perdem uma chance de humilhá-la o de fazer brincadeiras de mau gosto. Tudo isso se deve ao fato de seus olhos terem uma coloração incomum, eles são lilases, e, além disso, ela é um imã para desastres, sempre que está por perto alguma coisa fora do comum acontece. Seu único – e melhor – amigo é Richard, por quem nutre um intenso amor platônico. Eles se conhecem desde a infância, e a partir daí, se tornaram amigos inseparáveis. Mesmo possuindo muitas coisas em comum, ele e Belle também são bem diferentes. Enquanto ela é a excluída, ele é o popular, o que arranca suspiro das meninas e a inveja dos meninos, e para completar, é loucamente apaixonado por sua namora, Linda, a queridinha da escola, para o total desespero de Anabelle. 

"Eu era aquele tipo de garota aberração. Meus olhos tinham um tom lilás, quase roxos. Algo muito estranho: doença genética, talvez, ou alguma mutação quem sabe!"
“Imaginem aquele tipo de cara que toda garota sonha em namorar um dia. Alto, com um corpo que, ai meu Deus! Olhos da cor do céu de um dia iluminado e cabelos tão escuros quanto a mais sombria das noites.”

Anabelle vive com sua mãe, um mulher doce e que tenta sempre levantar o ânimo da filha. Em contrapartida, seu pai, de quem herdou a cor dos olhos que tanto odeia e não tem um bom relacionamento, passa mais tempo “trabalhando” do que com a família. Mas uma revelação inesperada chega para mudar completamente a vida da jovem. Seu pai lhe revela que, assim como ele, ela é uma bruxa, descendente de uma linhagem poderosa e muito antiga. Como está na idade em que seus poderes se manifestam, Belle precisará passar por um treinamento para aprender tudo sobre a magia que possui, e para isso, lhe é designada uma mentora, a pequenina, porém sábia, Liza. Deste momento em diante, a rotina da jovem muda totalmente, muitas coisas das quais não entendia, começam a fazer sentido. Um mundo de aventura, magia e mistérios a espera, basta saber se Anabelle está preparada para enfrentá-lo; ela precisará de muita força para encarar sua nova condição, além de ainda ter que conciliar sua nova realidade com sua vida humana.

“Como era de se esperar, nada havia mudado. As mesmas pessoas, os mesmos olhares, como se eu fosse a coisa mais assombrosa do mundo (talvez eu fosse, mas isso não vinha ao caso). Porém, eu não era mais a mesma. Quem sabe fosse porque havia encontrado uma razão para a minha vida. De alguma forma, em algum lugar, eu não era essa aberração que todos diziam.”

MAGIA é o primeiro livro da Trilogia Mística, e nele, a autora nos apresenta uma trama jovial, regada de muita fantasia, com um romance de plano de fundo, além de abordar com muita sutileza assuntos importantes, como o bullying e dramas familiares. A autora tem uma escrita leve, de fácil entendimento e bem fluida, o que possibilita o leitor ler a obra rapidamente e sem desgaste, como foi no meu caso, que li em apenas algumas horas. Com uma narrativa em primeira pessoa, Anabelle nos mostra seu ponto de vista sobre os fatos e acontecimentos a sua volta. Uma das coisas que mais me encantou na trama criada por Jéssica Macedo, foi o mundo mágico criado por ela. Os cenários, os feitiços, a mitologia, as poções, foram de fato o que mais me agradou no decorrer da história, e foi justamente por esses elementos que fiquei atraída pela leitura; fantasia é um dos meus gêneros favoritos. No entanto, confesso que alguns pontos da história me desagradaram bastante, mais precisamente, dois aspectos: o romance (por incrível que pareça, logo eu que adoro um romance) e a Anabelle.

“Você é poderosa, Anabelle. Mas muitas vezes os obstáculos serão maiores do que você e, se não souber lidar com eles, poderá ser destruída...”

Para mim, Anabelle é uma personagem um tanto chata. Entendo que ela é uma adolescente, mas age como uma “aborrescente” rabugenta, imatura, “reclamona” e de mal com o mundo. Sem contar que ela é bem grosseira com as pessoas, como se tivesse descontando nelas suas frustrações. Não posso dizer que odiei a personagem, pois quando se mostrava forte e determinada, ou quando parava de ser ranzinza, ela ganhava a minha simpatia. Agora o outro ponto, o romance entre ela e Richard, que, sinceramente, não me despertou empatia nenhuma. Anabelle é apaixonada por ele desde sempre, e vive sofrendo pelo sentimento não correspondido; mas eu não consegui sentir tanta emoção nesse quesito, estava mais para uma fixação do que amor de verdade. O que dá a entender pela visão de Belle, é que Richard ama muito sua namorada, Linda, e mesmo sendo previsíveis algumas situações no andamento desse relacionamento, parece que ficou meio vago, talvez as coisas tivessem sido diferente, se houvesse também o ponto de vista dele na narrativa. Por isso, achei o desfecho de Richard e Anabelle nesse primeiro livro nada convincente, foi apressado demais, e inesperadamente os sentimentos mudaram. 

“Queria pelo menos descansar depois de um dia horrível, ouvindo músicas que ninguém mais curtia e pensando no quanto minha vida era uma bela droga.”
“Richard foi a única pessoa que acreditou em mim. O único que não me tratou como se eu fosse um bicho. Eu o amava, amava mais do que a mim mesma (...)”

Mas aí, você chega nesse ponto da resenha e me pergunta: “afinal, você gostou ou não gostou do livro?”. Sim, eu gostei sim, principalmente pelo mundo mágico criado pela autora, como disse anteriormente. Sem contar que, a história possui cenas divertidas e outras cheias de ação, e as minhas favoritas são as aulas de Anabelle com Liza, que se tornou minha personagem preferida. Se os livros seguintes seguirem o ritmo do final deste primeiro volume, tenho certeza que será recheado de surpresas, aventuras, descobertas e feitiços. E admito, estou louca para saber como será os próximos desafios enfrentados por Belle em sua jornada. Antes de finalizar, eu preciso ressaltar o quão bonito está o livro físico. O trabalho realizado pela editora está primoroso; a capa, a diagramação e cada detalhe estão lindos e bem executados. Parabéns pelo capricho! 

Se esse mundo de fantasia, onde existam bruxas e muita magia, te fascina, tenho certeza de que você irá amar conhecer MAGIA. Depois me conta o que achou! ;)







Sobre a autora:






Criativa, falante... Jéssica tem mais livros do que sapatos. 
Estudante de cinema na UFMG, espera um dia tornar reais os mundos que cria. Começou a escrever peças para a escola aos nove anos e desde então não parou mais. Apaixonou-se pelos romances e literatura fantástica por descobrir um mundo repleto de possibilidades. Publicou o primeiro livro aos 14 anos, “Vale das Sombras”, com o pseudônimo de Jéssyca Delacur.







6 Comentários

  1. Oiee ><
    Parabéns pela resenha e pra autora, gostei bastante do enredo da história <3 apesar de que sou meio suspeita pra falar, já que quando se trata de magia e bruxas sou a primeira na fila kkkk
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amo fantasia, e romance de pano de fundo é sempre muito bem vindo... Só tenho preguiça do tema bullying que para mim já deu, mas em compensação adoro dramas familiares. Pena que achou a Anabelle chata, tenho receio de que isso atrapalhe minha leitura, mas estou com vontade de me arriscar mesmo assim.

      Excluir
  2. Oi Dai.
    Acho que o mundo mágico criado é o principal ponto forte do livro, só não sei se teria paciência com a Anabelle e as coisas um tanto quanto infantis que ela faz. Que nos próximos livros esse esteja mais madura.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Oi Dai, sua linda, tudo bem?
    Antes de mais nada, roxo é a minha cor preferida, então sou suspeita para falar dessa capa, adorei, risos... E ela ter olhos lilases??? Já me conquistou!!! Também adoro fantasia, principalmente bruxos. Você me deixou muito animada quando elogiou a mitologia criada pela autora e por ter informado que o livro explora a questão de poções, isso é muito interessante. Mas confesso que fiquei um pouco desanimada, não por ela ser chata, existem pessoas assim, mas pelo romance não ter sido convincente. Preciso que o texto me passe verdade para conseguir me envolver. E se ele é apaixonado pela namorada, como de repente irá passar a ter sentimentos por ela? Acho que não leria o livro no momento, mas vou deixar a dica anotada.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá Dai!

    Eu já tinha visto alguns comentários a respeito da obra, mas gostei muito das sua impressões. Fiquei bem animada para fazer a leitura, pois a trama tem fantasia com uma vida comum da personagem adolescente. Uma pena saber que a protagonista é chata, isso me desanimou um pouco.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Olá,
    A premissa é bastante interessante e fiquei curiosa para saber os reais motivos pelo qual a personagem apresenta olhos lilases!
    Saber que ela é um pouco irritante por causa de sua fase aborrescente não me desanima mas sim intriga para saber se ela irá amadurecer no decorrer dos próximos volumes.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir