Especialmente para os fãs de John Green e Rainbow Rowell, apresentamos uma destemida heroína e sua inesquecível história sobre empoderamento feminino, bullying, relação mãe e filha, e a busca da autoaceitação. Sob um céu estrelado e ao som de Dolly Parton, questões como o primeiro beijo, a melhor amiga, a perda de alguém que amamos demais e “estou acima do peso e ninguém tem nada com isso” fazem de Dumplin’ um sucesso que mexerá com o seu coração. Para sempre.
Gorda assumida, Willowdean Dickson (apelidada de Dumplin’ pela mãe, uma ex-miss) convive bem com o próprio corpo. Na companhia da melhor amiga, Ellen, uma beldade tipicamente americana, as coisas sempre deram certo... até Will arrumar um emprego numa lanchonete de fast-food. Lá, ela conhece Bo, o Garoto da Escola Particular... e ele é tudo de bom. Will não fica surpresa quando se sente atraída por Bo. Mas leva um tremendo susto quando descobre que a atração é recíproca.
Ao contrário do que se imaginava – a relação com Bo aumentaria ainda mais a sua autoestima –, Will começa a duvidar de si mesma e temer a reação dos colegas da escola. É então que decide recuperar a autoconfiança fazendo a coisa mais surreal que consegue imaginar: inscreve-se no Concurso Miss Jovem Flor do Texas – junto com três amigas totalmente fora do padrão –, para mostrar ao mundo que merece pisar naquele palco tanto quanto qualquer magricela.
Ficha Técnica:
Páginas: 336 | Gênero: Romance; Ficção; Jovem Adulto; Literatura Estrangeira |  Formato: Impresso; eBook | Editora: Valentina | Edição: 1ª | ISBN: 978-85-5889-031-1| Idioma: Português

Onde Comprar ▶     AMAZON       SARAIVA       SUBMARINO   





Cresça e apareça. Faça e aconteça!

Estou sem palavras para descrever o quanto gostei do livro. Sabe aquela história que dá um up na nossa vida, aquela levantada na autoestima? É Dumplin’! Que leitura mais gostosa e libertadora! As pessoas precisam aceitar as outras como elas são, sem preconceito, sem fazer bullying. Somente respeitar!


“Mas essa sou eu. Gorda. Não é nenhum palavrão. Não é nenhum insulto. Pelo menos, não quando eu digo. Por isso, sempre me pergunto: por que não chutar logo de uma vez para longe essa pedra do caminho?” 

“Sei que as garotas gordas deveriam ter alergia a piscinas, mas eu adoro nadar. Não sou boba: sei que as pessoas ficam encarando, mas não podem me culpar por eu querer dar uma refrescada. E por que isso deveria fazer alguma diferença? Por que ter coxas enormes e cheias de celulite me obriga a pedir desculpas à humanidade. ” 

Willowdean Dickson, Will para os íntimos e Dumplin’ para a sua mãe, é uma adolescente gorda e ela se aceita assim. Sua mãe já a fez tentar todas as dietas possíveis e não teve resultado com nenhuma, mas Will não está preocupada com isso, está feliz com seu corpo e com sua vida. Ela tem uma melhor amiga, Ellen Dryver, que mesmo com um corpo escultural não a julga por ser acima do peso. E é claro que é assim que as amizades verdadeiras devem ser, sem julgamentos, mas não deixando a sinceridade de lado. 

Will trabalha em uma lanchonete, lá também trabalha Bo, o garoto que ela tem uma paixonite aguda e que acredita ser platônica (quem nunca teve um amor platônico, né?). Muitas vezes ela pega Bo a observando, mas pensa que é coisa da sua cabeça, afinal, porque um carinha como ele iria dar bola para ela? Aaah! Se ela soubesse o que se passa na cabeça dele... (rsrs) 


“Surpreendendo até a mim mesma, não respondo. Apenas beijo Bo Larson. E, quando ele entreabre os lábios junto aos meus, não penso nisso. Porque, pela primeira vez na vida, eu sou aceita. Totalmente aceita, sem nenhuma pergunta.” 

“Mas não é só isso. Minha cabeça se voltou contra mim. Toda vez que pisco, só consigo enxergar defeitos. Meu corpo virou um daqueles espelhos de parque de diversões. Os quadris são muito largos. As coxas são muito grossas. E a cebaça é muito pequena em relação ao resto do conjunto. Até o começo do verão, eu me sentia totalmente à vontade no meu corpo. Até mesmo orgulhosa dele.” 

A vida de Will está nos conformes, está estudando, não é o alvo das brincadeiras sem graça de seus colegas de escolas (tirando os olhares estranhos), tem uma melhor amiga e um amor secreto. Tudo certo para uma adolescente. Até o momento em que se sua melhor amiga decide perder a virgindade com o namorado, deixando Will se sentindo um peixe fora d’água. E então, seu amor platônico começa a ser correspondido. Isso tudo seria ótimo se Will não começasse a se sentir desconfortável com seu corpo. E para piorar um pouco mais a situação, o “Concurso Miss Jovem Flor do Texas” está começando e todas as garotas de sua idade, e que se encaixam no padrão de beleza imposto pela sociedade, estão super empolgadas, além de sua mãe ser uma das organizadoras do concurso. 

Em um momento de loucura, Willowdean resolve se inscrever no concurso e sua atitude inusitada leva outras meninas que se sentem fora do padrão a ter coragem para também se inscreverem. E agora elas vão mostrar para o mundo que também são lindas e tem talento. 


“- Não se faça de desentendida. Eu vejo, toda vez que você liga a tevê em algum programa sobre garotas perdendo peso, ou me fala de alguma amiga que emagreceu horrores porque fez a última dieta da moda, ou quando faz uma lista com os itens da despensa ao chegar em casa, para ter certeza de que eu não me empanturrei com eles.” 

“Mas isso não pode ser verdade. Por mais que eu tente me convencer de que a gordura e as estrias não importam, elas importam, sim. Mesmo que Bo, por qualquer motivo, não dê a mínima, eu dou.” 

“ O concurso se tornou algo precipitado para mim. Acho que minha intenção inicial ao me inscrever foi a certeza de que eu tinha um ponto de vista a provar. Não sei si era para mim mesma, para mamãe ou para a humanidade, mas, a cada dia que passa, eu me sinto cada vez menos como se tivesse algo a dizer.” 

Dumplin’ nos conta a história de uma destemida heroína, além de falar sobre o empoderamento feminino, bullying, relação de mãe e filha, e a busca da autoaceitação. A autora trouxe temas que valem muito a pena serem discutidos! Mas o que mais me deixou pensativa mesmo, foi como Will se sentia sobre seu corpo, afinal ela é gorda e a sociedade quase que nos impõe a busca do corpo perfeito, se você não é magra e não tem a barriga chapada já está fora dos padrões. Que se f*** o padrão (desculpe o palavrão, não resisti)! Lindo é ser você, lindo é ser autêntico; essa coisa de padrão é chato e sem graça. A pessoa tem que se sentir bem, tem que ser feliz, até porque se a gente for seguir tudo o que é mposto, estaríamos perdidos, infelizes e frustrados. 

Bom, Dumplin’ foi uma leitura espetacular! As vezes tive vontade de dar na cara de Willowdean? Tive demais (kkk), mas ela era só uma adolescente que tinha muita coisa ainda para aprender com a vida (falou a idosa, né?!). Foi uma leitura muito gostosa e fluiu tão fácil que em alguns momentos eu perdia a noção do tempo. A diagramação ficou linda, a arte da capa então... Adorei o trabalho da Editora Valentina. Porém, confesso que não gostei muito do material da capa, que fica marcada com facilidade, ainda mais que eu carregava o livro para todos os cantos que ia, ma claro que ela não deixou de ser linda por causa disso. Por fim, só posso dizer: recomendo demais o livro!




Sobre a autora:



JULIE MURPHY vive no norte do Texas com o marido que a ama, o cachorro que a adora e os gatos que a toleram. Quando não está recordando deliciosos momentos de sua vida como bibliotecária, escrevendo ou mesmo tentando recolher animais abandonados, Julie pode ser encontrada assistindo a filmes feitos para a TV, caçando a perfeita fatia de pizza caprichada no queijo e planejando sua próxima grande aventura turística. Após abandonar a profissão de bibliotecária (quanta saudade!), Julie agora é escritora em tempo integral. Seu aclamado romance de estreia se chama Side Effects May Vary. Visite Julie em www.juliemurphywrites.com









12 Comentários

  1. Olá!

    Confesso quer nunca li nada da autora, mas que pela sua apresentação, fiquei curiosa em relação ao livro. Parece que a autora abordou bem as temáticas as quais se propôs. Indicação anotadíssima! Bullying é um tema do qual gosto de ver determinados pontos de vista.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Oi Mary, tenho muita vontade mesmo de ler esse livro garota, parece trazer um assunto que ainda possui muito preconceito na sociedade atual em que vivemos, gostei de ver que os pontos de vista são relevantes e interessantes.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Primeiramente! Blog muito lindo "além da postagem claro": Parabéns.
    Já vi algumas pessoas falarem desse livro e curti muito a temática.
    Assim que der quero muito ler e ver o que acho... Obrigado pela dica.

    Atenciosamente Um baixinho nos Livros.

    ResponderExcluir
  4. Oii, tudo bem?
    Nossa, tô louca pra ler esse livro! Ouço muitos elogios, mas é a primeira vez que leio uma resenha. Não li muita coisa com essa temática, mas acho necessário já que vivemos em uma sociedade tão preconceituosa. Gostei muito da resenha, parabéns.

    ResponderExcluir
  5. Quero muito ler esse livro, acho a temática super válida pra gente refletir sobre a vida e as coisas que acabamos sempre repetindo e não nos damos conta. Comportamentos que são nocivos para os outros, mas principalmente para nós mesmos!

    Bjos

    ResponderExcluir
  6. Oie!

    Guria tem bastante pessoas lendo esse livro e falando muito bem dele, ainda não senti tanta curiosidade a ponto de solicita-lo a editora, mas não nego que ela está começando a crescer a cada nova resenha que sai, e espero em breve poder conferir essa história de perto!

    Bjs, Sorteio Ativo, serão 3 ganhadores e um deles levara para casa um Exemplar de Fuck Love da Faro Editorial! Não perca essa oportunidade!
    http://resenhasteen.blogspot.com.br/2017/08/sorteio-do-desapego-3-ganhadores.html

    ResponderExcluir
  7. Oiii!

    Eu não li esse livro ainda, mas depois de tantas resenhas positivas, não tem como não querer ler e conhecer esse enredo. Fiquei feliz em ler sua opinião para a obra e espero ter a mesma experiencia!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Oi, Mary
    Amei sua resenha. Estou de olho nesse livro tem um tempinho.
    Adoro livros assim que nos fazem bem, libertam certos preconceitos e aumenta nossa autoestima. Adorei saber que gostou tanto. Quero ler.

    ResponderExcluir
  9. Oi.
    Eu já havia lido algumas resenhas sobre o livro e já estava com vontade de conferir. Realmente essa questão da auto aceitação é muito importante e admito que tenho sérios problemas com isso.
    Adorei a resenha e fiquei com ainda mais vontade de ler o livro.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Que premissa maravilhosa, tenho visto esse livro sendo bem divulgado mais não tinha parado para ler nenhuma resenha e gostei muito de conhecer mais sobre a obra. é um livro que dá um tapa na cara dessa sociedade chata e preconceituosa, livros tinham que ser leitura obrigatória rs' já estou colocando na minha lista de desejados!

    beijos!
    http://blogdatahis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá!

    Já li algumas resenhas dele e é uma leitura e tanto, preciso dele, é praticamente um manifesto em favor da mulher! Sem falar nessa capa maravilhosa!

    ResponderExcluir
  12. Olá! Tive que adicionar o livro NA HORA em que você me falou sobre essa personagem tão bem resolvida desde cedo! Fico feliz por ter gente no mundo que é como ela, lutando contra o bullyng ao invés de alimenta-lo. Fiquei curiosa para saber como termina esse concurso e, claro, como termina o livro também, se o amor platônico foi ou não correspondido! Quero ler.
    Beijos!
    Karla Samira
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir