Sinopse: DE ONDE VIEMOS? PARA ONDE VAMOS?
Robert Langdon, o famoso professor de Simbologia de Harvard, chega ao ultramoderno Museu Guggenheim de Bilbao para assistir a uma apresentação sobre uma grande descoberta que promete “mudar para sempre o papel da ciência”.
O anfitrião da noite é o futurólogo bilionário Edmond Kirsch, de 40 anos, que se tornou conhecido mundialmente por suas previsões audaciosas e invenções de alta tecnologia. Um dos primeiros alunos de Langdon em Harvard, há 20 anos, agora ele está prestes a revelar uma incrível revolução no conhecimento… algo que vai responder a duas perguntas fundamentais da existência humana.
Os convidados ficam hipnotizados pela apresentação, mas Langdon logo percebe que ela será muito mais controversa do que poderia imaginar. De repente, a noite meticulosamente orquestrada se transforma em um caos, e a preciosa descoberta de Kirsch corre o risco de ser perdida para sempre.
Diante de uma ameaça iminente, Langdon tenta uma fuga desesperada de Bilbao ao lado de Ambra Vidal, a elegante diretora do museu que trabalhou na montagem do evento. Juntos seguem para Barcelona à procura de uma senha que ajudará a desvendar o segredo de Edmond Kirsch.
Em meio a fatos históricos ocultos e extremismo religioso, Robert e Ambra precisam escapar de um inimigo atormentado cujo poder de saber tudo parece emanar do Palácio Real da Espanha. Alguém que não hesitará diante de nada para silenciar o futurólogo.
Numa jornada marcada por obras de arte moderna e símbolos enigmáticos, os dois encontram pistas que vão deixá-los cara a cara com a chocante revelação de Kirsch… e com a verdade espantosa que ignoramos durante tanto tempo.
Ficha Técnica:
Páginas: 432 | Gênero: Ficção; Policial; Literatura Estrangeira | Formato: Impresso; E-book | Edição: 1ª | ISBN: 9788580417661 | Editora: Arqueiro | Idioma: Português | Ano: 2017 | SKOOB

Onde comprar:
      AMAZON          LIVRARIA CULTURA          SARAIVA          SUBMARINO          FNAC    


“(...) – Portanto qualquer mudança religiosa acontece no decorrer de gerações, não sem grande angústia e frequentemente com derramamento de sangue.”

Já disse alguma vez aqui o quanto sou apaixonada pelos livros de Dan Brown? Acho que não, né?Gosto porque os enredos me fascinam e me fazem viajar completamente na história. 

Então, comecei a ler Origem e pensei que levaria uma semana para terminar a história... Ledo engano. Não conseguia desgrudar do livro e em dois dias eu cheguei na última página. Acho que nem preciso dizer o quanto gostei da trama, não é? E dessa vez o autor traz um tema que, para mim, é sempre polêmico, ciência e religião. É sempre uma discussão interessante, mas no fim eu acredito que a fé fala mais alto.


“- De onde viemos? Para onde vamos? Essas perguntas fundamentais da existência humana sempre me obcecaram, e durante anos sonhei em encontrar as respostas.”

“- (...) Nós nos consideramos indivíduos racionais e modernos, no entanto a religião mais disseminada de nossa espécie inclui toda uma quantidade de afirmações mágicas, seres humanos ressuscitando inexplicavelmente, virgens dando à luz por milagre, deuses vingativos que mandam pestes e inundações, promessas místicas de uma outra vida num céu sobre as nuvens ou de infernos em chamas.”

Nesta incrível narrativa, vamos acompanhar, mais uma vez, o nosso querido professor de iconografia religiosa e simbologia da Universidade de Harvard, Robert Langdon. A história começa com Edmond Kirsch, um cientista, ateu, futurólogo e antigo aluno de Robert, mostrando para três representantes religiosos informações que irão abalar o mundo e fazer muita gente duvidar das religiões. Edmond disse que esperaria um mês para revelar a notícia, mas na verdade já estava preparando um evento para esse anúncio para dali a três dias.

Foi para esse grande evento, no museu de Guggenheim em Bilbao, que Robert foi convidado. Após uma breve visita ao museu, chegou a hora de todos irem para o local indicado da apresentação. Edmond adora entradas triunfais e antes de aparecer no pequeno palco, fez uma bela introdução com o vídeo de uma aula de Robert sobre religião. Então, Edmond se revela com os seguintes questionamentos: De onde viemos? Para onde vamos? Quando vai responder a curiosidade de todos, ele é assinado. Diante do caos, inicia-se a corrida de Robert e Ambra (diretora do museu) para descobrir o que Kirsch queria tanto mostrar ao mundo e também para descobrir quem assassinou seu amigo/aluno.


“- Sim – disse o padre. – E, pelo tom da introdução, parece que ele acreditava que essa descoberta faria um mal terrível às religiões do mundo.”

Pronto! Está a minha curiosidade atiçada. De onde viemos? Para onde vamos? Precisava ler, ler e ler para descobrir isso e a rede de mistérios que aconteceram naquela noite. E enquanto a história vai se criando nos deixando cada vez mais submersos na trama, o autor nos traz também detalhes incríveis pelos lugares onde o professor passa. As obras de Dan Brown são sempre muito ricas, em relação a arte e também sobre os pontos turísticos das cidades. Dessa vez temos a Espanha como cenário dessa grande trama, e ele descreve tudo tão bem, que parece que estamos fazendo um tour pelos lugares. O enredo é um pouco clichê, tem certas coisas que a gente já sabe como vai terminar, mas o autor soube tecer bem as ideias e deixou a leitura bem envolvente.

Bom, só posso dizer que é mais um livro que se tornou meu favorito. Adoro livros que me fazem pesquisar sobre as coisas e que rendem boas discussões. E Origem me deixou com aquela pulguinha atrás da orelha, fiquei querendo saber muito mais sobre o assunto. Por fim, Dan Brown sempre arrasa em seus livros e achei ótimo a editora Arqueiro nos presentear com essa maravilhosa obra. Leitura recomendadíssima. 


“- Que nossas filosofias sigam no mesmo passo das nossas tecnologias. Que nossa compaixão siga no mesmo passo dos nossos poderes. E que o amor, e não o medo, seja o motor da mudança.”




Sobre o autor:



Dan Brown é o autor de suspense mais popular da atualidade, com mais de 150 milhões de livros vendidos. Seu mega-seller O Código Da Vinci já vendeu mais de 80 milhões de exemplares em todo o mundo. Ele também escreveu Anjos e Demônios, O Símbolo Perdido, Inferno, Fortaleza Digital e Ponto de Impacto.

Dan é casado com a pintora e historiadora da arte Blythe, que colabora nas pesquisas de seus livros. Ele mora na Nova Inglaterra, nos Estados Unidos.








Um Comentário

  1. Vou começar a ler este livro esta semana. Espero gostar. Ótima resenha.

    ResponderExcluir