Sinopse: Em Holt, no Colorado, Addie Moore faz uma visita inesperada a seu vizinho, Louis Waters. Viúvos e septuagenários, os dois lidam diariamente com noites solitárias em suas grandes casas vazias. Addie propõe a Louis que ele passe a fazer companhia a ela ao cair da tarde para ter alguém com quem conversar antes de dormir. Embora surpreso com a iniciativa, Louis aceita o convite. Os vizinhos, no entanto, estranham a movimentação da rua, e não demoram a surgir boatos maldosos pela cidade. Aos poucos, os dois percebem que manter essa relação peculiar talvez não seja tão simples quanto parecia. Neste aclamado romance, Kent Haruf retrata com ternura e delicadeza o envelhecimento, as segundas chances e a emoção de redescobrir os pequenos prazeres da vida — que pode surpreender e ganhar um novo sentido mesmo quando parece ser tarde demais.
Ficha Técnica:
Páginas: 160 | Gênero: Ficção; Literatura Estrangeira | Formato: Impresso; Digital | Edição: 1ª | ISBN: 9788535928662 | Editora: Companhia das Letras | Idioma: Português | Ano: 2017 | SKOOB

Onde comprar:
     AMAZON        LIVRARIA CULTURA        LIVRARIA DA FOLHA        SARAIVA   


 


“Deixa pra lá, Louis. Já sabíamos desde o início que as pessoas iriam descobrir. Nós conversamos sobre isso. Sim, mas eu não estava raciocinando. Não estava pronto. Não queria que eles ficassem inventando histórias sobre nós. Sobre você.”

Nossas Noites tem uma história curtinha e bem objetiva, sem enrolações e divagações, e quando vocês menos espera, está no final do livro. Addie Moore, uma senhorinha viúva de 70 anos, um dia decide ir até a casa de seu vizinho, Louis Waters, também viúvo, e faz um convite bem inusitado: Ir dormir com ela todas as noites, simplesmente deitar e conversar. 

De início Louis fica um pouco desconfiado do convite, mas que mal pode ter em ir até lá só para conversar, mesmo que tenha um enorme receio em relação ao que as pessoas vão dizer sobre isso?


“Eu também tenho essa sensação. Mas você pode acabar se cansando de mim também e querer pular fora. Se isso acontecer, nós podemos parar, disse ela. Esse é o trato subentendido entre nós, não é? Mesmo que nós nunca tenhamos chegado a dizer que seria assim.”

E é o que acontece nessas noites, eles conversam sobre tudo, onde cresceram, como viveram, sobre seus parceiros, seus filhos e sobre a vida. Até que a filha de Louis descobre o que está acontecendo e decide confrontar o pai. E ele que tinha medo de levar isso para frente, resolveu ser forte igual a Addie e mandou ela cuidar da própria vida. E tudo voltou ao normal.

Foi tão gostoso ler quando o netinho de Addie foi visita-la e eles o paparicaram como se fossem os avós cuidando do neto. O problema é que o filho de Addie não aceitou muito bem essa relação e deu um ultimato para sua mãe. Será que Addie vai continuar firme e forte em sua decisão de manter as noites com Louis?


“Foi uma surpresa boa. Não estou dizendo que não foi. Mas continuo sem entender de onde você tirou a ideia de me convidar para dormir aqui. Eu falei para você. A ideia veio da solidão. Da vontade de conversar durante a noite.”

O livro é realmente pequeno e é até difícil falar muito sem dar spoiler pra vocês. É uma história rápida, em poucas horinhas já estamos lendo o fim, mas é uma leitura bem gostosa, tão cheia de boas intenções que acaba deixando a gente bem envolvido e torcendo cada vez mais por Addie e Louis. Um casal que nos ensina que não tem idade para o amor, para a segunda chance e para a vida.

A escrita é um pouco diferente, narrado em terceira pessoa e os diálogos não são separados por travessão ou aspas. É como se fosse uma leitura corrida, e acho que isso ajudou a leitura ser bem fluida. Recomendo a leitura!


“Bem, minha velha, você me conquistou completamente. Você está perfeita. Está exatamente como deveria estar. Você não precisa parecer uma garotinha de treze anos, sem peito e sem quadril.”


Sobre o Autor: 






Kent Haruf nasceu em 1943, em Pueblo, no Colorado. É autor de seis romances, entre eles The Tie That Binds (1984), que recebeu uma menção especial do PEN/ Hemingway Award, ePlainsong (1999), finalista do National Book Award. Em 1986 recebeu o prêmio Whiting Awards e, em 2006, o prêmio John Dos Passos. Morreu em 2014, aos 71 anos. Nossas noites foi seu último trabalho publicado.








Deixe um comentário: