Meu nome é Cassidy Porter... Meu pai, Paul Isaac Porter, foi condenado quase vinte anos atrás pelo brutal assassinato de doze garotas inocentes.

Embora eu tivesse apenas oito anos naquela época, tenho noção — a cada dia da minha vida — de que sou seu filho, seu único filho.

Para proteger o mundo do veneno que corre em minhas veias, vivo uma vida tranquila, fora de vista, isolado da humanidade. Prometi a mim mesmo, e à minha mãe, que não infectaria vidas inocentes com a escuridão que se revira dentro de mim, esperando para ser revelada. Eu teria mantido a promessa... se Brynn Cadogan não tivesse surgido na minha vida.

Agora, eu vivo entre o céu e o inferno: apaixonado por uma mulher que quer me amar, enquanto tudo ao meu redor me faz lembrar de que preciso permanecer... Sem amor.

Ficha Técnica:
Páginas: 368 | Gênero: Ficção; Literatura Estrangeira; Romance | Formato: Impresso | Edição: 1ª | ASIN: 9788568056554  | Ano: 2018 | Editora: Charme | Idioma: Português | SKOOB

COMPRE NA     AMAZON    



Que livro maravilhoso é esse, minha gente?! Sem Amor me consumiu intensamente, já no prólogo pude perceber que fortes emoções me esperavam pela frente, e eu não me decepcionei. A cada novo capítulo eu me rendia mais e mais. A cada página virada eu perdia mais um pedaço do meu coração para esta história incrível.


Eu não irei me estender muito "falando" sobre a trama em si, não acho justo. Acredito que o leitor tem que ir conhecendo cada elemento da história no seu devido tempo, tem que ir se surpreendendo, se envolvendo com o andamento do enredo. E, vai por mim, tenho certeza de que esse livro vai te fisgar do começo ao fim. Você só precisa se jogar na leitura e apreciar a "viagem".

Na trama iremos nos deparar com dois personagens quebrados, cada um deles carregando uma carga diferente, com proporções distintas. De um lado temos Brynn Cadogan, que perdeu Jem, seu noivo, o homem que amava profundamente, de uma maneira trágica e dolorosa. Anos depois ela ainda tenta reunir forças para seguir em frente, tenta encontrar uma direção para seguir, tenta lidar com o luto e com a dor dilacerante que ficou em seu coração. Do outro lado temos Cassidy Poter, filho de um psicopata, de um assassino brutal e frio. Cass cresceu acreditando que em suas veias corria o mesmo veneno que corria nas veias do pai, e temia que no futuro esse DNA corrompido poderia se manifestar, e, por isso, se manteve afastado, longe da sociedade. E assim ele permaneceu, sem nenhum contato longo ou direto com a humanidade, até que o destino resolveu cruzar o seu caminho com o de Brynn. 


"Jem está morto. Sei disso. Sei que ele nunca voltará. Mas, às vezes, minha tristeza e minha raiva ainda permanecem duras como gelo. (...) Em vários dias, nem sei como o meu coração continua bater. E há outros dias que, e tenho vergonha de admitir, em que eu  gostaria que ele simplesmente parasse por completo. Mas ele continua a bater, cheio de vida, como se soubesse que algum dia o gelo irá derreter."

"Quando ela sorri, até mesmo eu, condenado desde o nascimento, amaldiçoado desde o berço, sinto o coração rugir. Deve ser isso que acontece com os anjos. Aposto que nem mesmo o diabo conseguiria resistir, mesmo se tentasse."

Brynn é uma mulher forte e determinada, e não há como não ficar tocado com toda a sua dor. Perder alguém amado e seguir em frente é algo difícil de lidar. Mas ela desejava "viver" novamente, e em Cass encontrou o caminho para felicidade, a cura para seu coração ferido e a oportunidade de amar outra vez, e ela não mede esforços em provar que ele é merecedor de cada pedacinho desse sentimento. E, gente, o que falar do Cassidy? Um homem que carrega uma culpa que não é sua, que acredita ser amaldiçoado e que seus genes poderiam levá-lo para a escuridão, portanto, presume não ser merecedor do amor. Nossa, ele não poderia estar mais errado. Cass é um homem doce, de coração puro, de alma naturalmente altruísta. Ele me conquistou com seus gestos gentis e ingênuos, com sua inteligência, com seu ardor e sua paixão. Como eu sofri com suas lutas internas, com seu medo de se tornar algo destrutivo, se achando inferior devido aos crimes cometidos por seu pai. Por diversas vezes eu quis entrar no livro e consolá-lo, dizer que tudo ficaria bem, dizer que ele era amado, que ele era muito amado. Cassidy pode até ser apenas um personagem fictício, mas é o personagem mais genuíno que li nos últimos tempos. Os sentimentos que ele despertou em mim são imensuráveis. 


Sem Amor é uma história intensa, sensível, tocante, apaixonante, arrebatadora. Uma história que toca a alma e fala diretamente com o coração, que desperta uma miríade de sentimentos e nos deixa com as emoções à flor da pele. Que de uma maneira crua e muito real nos mostra como as pessoas podem ser cruéis e hipócritas, e por outro lado, mostra a magnitude da bondade humana e a força do amor verdadeiro. Só posso dizer que Katy Regnery arrebatou o meu coração com sua escrita delicada e instigante. Ela me proporcionou uma leitura emocionante e inesquecível. Acompanhar o amor florescer entre Brynn e Cassidy foi algo especial, foi lindo demais.


"Tudo agora é Brynn.
Sou viciado em tudo.
Ela é ar. É água. Sorrisos e suspiros suaves enquanto adormece em meus braços. Ela é calor. Ela é promessa e esperança. Ela é normalidade e companhia, meu talismã temporário contra a solidão. Ela se move como o ar ou a escuridão, me cercando, dentro de mim, do mundo e, ainda sim, pertencendo íntima e particularmente a mim. Ela é tudo que eu quero, mas não posso ter, algo mais e mais necessário à minha sobrevivência, o que significa que deixá-la ir irá me destruir. Sei disso. Mas, ainda sim, não posso  desacelerar ou exigir menos.
Eu a amo.
Vou má-la até que o céu caia.
Até que que o sol e a lua falhem em nascer.
Até que o Katahdin despenque.
Vou amá-la para sempre."

Todo o conjunto dessa obra está em perfeita sincronia: o enredo, a história, a escrita da autora, o trabalho realizado pela editora. Apenas achei o final um pouco corrido, as coisas se "encaixaram" muito rapidamente, mas isso de forma alguma fez com que o brilho da narrativa se apagasse diante dos meus olhos. A obra, no entanto, teve apenas um ponto que considerei negativo: ela acabou rápido demais! (rs) Suas 300 e tantas páginas não foram o suficiente para aplacar a minha fome por ela. Eu desejei – e ainda desejo  – mais e mais páginas. Diante de tudo, só posso desejar que vocês leiam. Só leiam! Impossível não terminar esse romance completamente arrebatada! 








Sobre a autora: A autora de vários best-sellers do New York Times e USA Today, Katy Regnery, começou sua carreira como escritora inscrevendo-se em uma curso de contos em janeiro de 2012. Um ano depois, ela assinou seu primeiro contrato e teve o seu primeiro romance publicado em setembro de 2013.

Katy mora com a família no norte de Fairfield County, Connecticut, onde sua sala de estar fica de frente para a floresta. Ela, seu marido, dois filhos pequenos, dois cachorros e um gatinho azul Tonkinese, buscam da via apenas o suficiente para lembrá-los de que as melhores histórias de amor começam em casa.

Katy se conecta com seus leitores e responde a todos os e-mails, mensagens, tweets e postagens!













Deixe um comentário: