Sinopse: Esse é um livro sobre traição. Magda, ou Agda, como ela se apresenta, foi traída. Mas ao contrário do que você espera ao ler esse livro, você não encontrará um drama. Apesar de Magda se entupir de coxinhas e refrigerante sabor uva, ela também se mete em inúmeras confusões. O destino faz com que ela chegue a um grupo chamado “S.O.S Fui traída” e lá tem de tudo. Desde uma modelo que ninguém acreditaria que foi traída até uma mulher acolhedora que passou por três casamentos. Junte-se à Magda, ou Agda, nessa aventura por doze passos divertidos e profundos, reencontrando a si mesma e rindo muito.

Ficha Técnica:
Páginas: 340 | Gênero: Chick-lit; Ficção; Literatura Nacional | Formato: Digital | Edição: 1ª | ASIN: B07FW8R44W | Publicação Independente | Idioma: Português | Ano: 2018 | SKOOB


COMPRE NA     AMAZON   



O que você faria se descobrisse que foi traída por seu marido? Pergunta difícil, né?! Afinal, ninguém espera por uma traição, muito menos de uma pessoa que você escolheu para ser seu companheiro para o resto da vida. Mas foi assim, de uma hora para outra, que nossa protagonista viu sua vida perfeita virar de cabeça para baixo.


"Descobrir que é traída é como levar um tropeção: inesperado, rápido e dolorido. Algumas vezes você cai de cara no chão, se machuca feio e torce para nunca mais passar pelo mesmo lugar. Em outras, você simplesmente levanta rápido para editar gargalhar dos transeuntes."

Magda, ou Agda, como prefere ser chamada, tinha a vida que sempre sonhou: um bom casamento, o homem que amava ao seu lado, o emprego que desejava, uma carreira de sucesso, paz e muita tranquilidade. Até que, em um dia corriqueiro, uma bomba caiu em seu colo destruindo tudo o que ela acreditava ser sólido. Ela descobriu que seu marido a traía, que ele mantinha uma relação extraconjugal que já durava há dois anos. Seu mundo ruiu! Agda se viu sem direção, sem rumo, totalmente perdida. A cada dia ela se afundava no sofrimento, se empanturrava de coxinha e refrigerante de uva, mas nada aplacava a dor que sentia. Até que, por obra do destino, ela descobriu um grupo muito peculiar, o S.O.S fui traída, e foi lá, junto com outras mulheres que enfrentavam a mesma situação que ela, que Agda conseguiu encontrar uma luz no fim do túnel. 

Doze passos para superar a traição, era isso que o programa oferecia, além de muita amizade e nenhum julgamento. E, entre lágrimas e gargalhadas, nós vamos acompanhar Agda nessa jornada de reencontro a si mesma, de autoconhecimento e de superação.


"–  O caminho para se curar é doloroso, nunca ache que poderá ser mais fácil. (...) Para cada uma de nós é diferente, mas uma coisa é certa, trilhar um passo por vez e vencer nossas próprias barreiras é o que nos faz chegar ao final com  um sorriso de vitória no rosto. Não porque vencemos o outro, mas porque  superamos nossos próprios embaraços."

Se tem uma coisa que a Fê sabe criar, são personagens que nos fazem esquecer que eles são personagens. É sério, desde o primeiro instante a Agda já era minha amiga de infância! E isso torna tudo mais especial, porque foi muito fácil criar um vínculo com a personagem. Foi uma empatia imediata, chorei, sofri, sorri junto com ela, senti cada uma de suas frustrações e vibrei com cada uma de suas conquistas. Todas as emoções são expressadas com tanta veracidade, que me colocar no lugar de Ag foi algo natural, espontâneo. Me vi na torcida para que ela encontrasse seu final feliz, independente de qual seria: sozinha, ao lado de um novo amor, reconstruindo seu casamento. E, tudo se encaixou naturalmente, com Agda encontrando o seu merecido final feliz.


"Sentia-me tão viva e tão nova. Uma Agda completamente diferente e por outro lado a mesma, recuperando pedaços meus que haviam sido deixados pelo caminho com o passar dos anos."

S.O.S fui traída é uma obra leve, divertida, reflexiva e emocionante. O enredo se mantém descontraído e fluido durante toda a leitura, apesar da carga emotiva que carrega. Fê Friederick Jhones criou uma obra cheia de valores e lições, que fala sobre traição, perdão, autoconhecimento, segundas chances, amizade, perseverança e, principalmente, sobre se reencontrar, se redescobrir. A Fê é uma escritora fantástica! Suas histórias são sempre cheias de sensibilidade e carisma, ela sabe tocar no coração do leitor.

Me diverti horrores com as confusões que Agda se metia, até mesmo mesmo querer, chorei e sorri ao mesmo tempo, me emocionei, me apaixonei. Foram tantos sentimentos e emoções! Eu devorei o livro, comecei com o intuito de ler apenas alguns capítulos e ir dormir, mas quem disse que eu consegui?! Só parei quando "virei" a última página e, por fim, só me restou saudades. Então, aqui vai o meu conselho: leia, se entregue, tenho certeza de que esse livro vai ganhar seu coração, assim como ganhou o meu.


"(...) as coisas são mais fáceis quando desapegamos das mágoas, das razões e escolhemos trilhar o nosso caminho mais leve. Isso é jogar para o céu. Deixar que o tempo, Deus ou o destino, cuidem do futuro."

Fê, muito obrigada por mais essa história maravilhosa!







Sobre a autora: Fê é uma apaixonada por histórias, por isso fez Psicologia. Dona de um coração bobo, que tem a capacidade infinita de acreditar no amor, então passou a escrever, de tudo um pouco, poesias, contos e romances. Participou de antologias, escreveu colunas em revistas eletrônicas, é blogueira e autora no Wattpad. Ímã de Traste é seu primeiro Chick-Lit. Baiana, mora em Recife com seu marido e sua filha peluda, Belle.













Um Comentário

  1. Nossa!!! Como não me emocionar com uma resenha dessas? Que coisa linda!! Fico tão feliz em saber que você sentiu tudo isso ao ler SOS!
    Obrigada, pela leitura e pelo carinho!
    Ganhei o dia!

    ResponderExcluir