Considerado pelo The New York Times como um thriller dinâmico e provocativo, Justiça a qualquer preço, do autor americano John Grisham, chega ao Brasil no próximo mês pela Editora Arqueiro. A obra tem previsão de lançamento para o dia 12 de novembro e já pode ser adquirido em pré-venda. 


Mark, Todd e Zola ingressaram na faculdade de Direito porque queriam mudar o mundo e torná-lo um lugar melhor. Fizeram empréstimos altíssimos para pagar uma instituição de ponta e agora, cursando o último semestre, descobrem que os formandos raramente passam no exame da Ordem dos Advogados e, muito menos, conseguem bons empregos.

Quando ficam sabendo que a universidade pertence a um obscuro operador de investimentos de alto risco que, por acaso, também é dono de um banco especializado em empréstimos estudantis, os três se dão conta de que caíram no grande golpe das faculdades de Direito.

Então eles começam a bolar uma forma de se livrar da dívida esmagadora, desmascarar o banco e o esquema fraudulento e ainda ganhar alguns trocados no caminho. Mas, para isso, precisam abandonar a faculdade, fingir que são habilitados a exercer a profissão e entrar em uma batalha contra um bilionário e o FBI.

Arranje uma poltrona bem confortável, porque você não vai conseguir largar Justiça a qualquer preço.


Ficha Técnica da obra:
Páginas: 336 | Gênero:  Ficção; Literatura Estrangeira; Romance Policial; Thriller | Formato: Digital; Impresso | Edição: 1ª | ISBN: 9788580418910 | Editora: Arqueiro | Idioma: Português | Ano: 2018 | SKOOB

    COMPRE AQUI!    



"Uma história escrita com inteligência. Gratificante e bem realista. Bravo!" – The Washington Post





Sobre o autor: JOHN GRISHAM nasceu no Arkansas, em 1955. Atuou por muitos anos como advogado especializado em direito penal e processos de indenização, escrevendo nas horas em que o seu trabalho permitia. Publicou seu primeiro livro, Tempo de matar, em 1988 e não parou mais, lançando um best-seller por ano e transformando-se no mestre dos thrillers jurídicos. Suas obras geralmente criticam nuances do sistema judiciário americano e das grandes firmas de direito.











Deixe um comentário: