Quando criança, Julia viveu na grandiosa propriedade de Wharton Park, na Inglaterra, ao lado de seus avós. Lá, a tímida menina cresceu entre o perfume das orquídeas e a paixão pelo piano.

Décadas mais tarde, agora uma pianista famosa, Julia é obrigada a retornar ao local de infância na pacata Norfolk após uma tragédia familiar. Abalada e frágil, ela terá que reconstruir sua vida.

Durante sua recuperação, ela conhece Kit Crawford, herdeiro de Wharton Park, que também carrega marcas do passado. Ele lhe entrega um velho diário que trará à tona um grande mistério, antes guardado a sete chaves pela avó dela.

Ao mergulhar em suas páginas, Julia descobre a história de amor que provocou a ruína da propriedade: separados pela Segunda Guerra Mundial, Olivia e Harry Crawford acabaram influenciando o destino e a felicidade das gerações futuras.

Repleto de suspense, A casa das orquídeas viaja da conturbada Europa dos anos 1940 às paisagens multicoloridas da Tailândia, tecendo uma trama complexa e inesquecível.

Ficha Técnica:
Páginas: 528 | Gênero: Drama; Ficção; Literatura Estrangeira; Romance | Formato: Digital; Impresso | Edição: 1ª | ISBN: 9788580418712 | Ano: 2018 | Editora: Arqueiro | Idioma: Português | SKOOB

COMPRE NA     AMAZON     


Resenha, A casa das Orquídeas, Lucinda Riley | Blog Virando a Página

Meu Deus, que livro! Me surpreendi, e, confesso, foi um dos livros que mais tive dificuldades em fazer a resenha. Mas, vocês devem estar se perguntando: “Como assim, não gostou? Você disse que te surpreendeu!” E foi exatamente por isso, por ter me surpreendido tanto e por ter gostado tanto, que senti uma enorme dificuldade em passar para essa resenha o quão envolvente, intrigante, reveladora e dramática a história é, sem dar nenhum tipo de spoiler. Então, vamos lá...

Julia é uma pianista famosa que mora na França, mas que acaba retornando, meio que obrigada, para a sua terra natal, a Inglaterra, após passar por uma grande e devastadora tragédia familiar. Enquanto tenta se curar e se reerguer de sua dor, Julia recebe um convite de sua irmã, Alice, para o leilão da propriedade de Wharton Park, onde ela passava suas férias quando criança, pois seus avós, Bill e Elsie, trabalhavam para a família Crawford. Bill era o jardineiro local e cuidava das estufas, onde eram cultivadas lindas orquídeas. Julia adorava ficar ali ao lado do avô, com suas flores e seu velho radinho, ela tinha um carinho enorme por aquele local que lhe trazia muitas recordações, e, sendo assim, acabou aceitando ir com irmã ao leilão.

Chegando a Wharton Park para o evento, ela teve doces lembranças de sua infância, e também acabou reencontrando Kit Crawford, com quem teve algum contato quando criança em uma de suas férias. Kit acaba de herdar a propriedade, mas se vê obrigado a vendê-la e a leiloar seus bens, pois está cheio de dívidas e não tem como pagá-las. Ele se tornou um homem muito bonito, carismático, sensível e que também esconde uma triste e dolorosa tragédia em sua vida.

Durante a reforma de um dos chalés da propriedade, Kit encontra um velho diário que pertenceu a alguém que esteve na segunda guerra mundial, e que ele imagina ser de Bill, o jardineiro, que residia no local. Ele então entrega o diário a Julia, e assim eles acabam se aproximando. Kit e Julia se envolvem de uma maneira inexplicável, mas que, por uma obra do destino, não podem ter um relacionamento assim tão perfeito quando gostariam.

Por causa desse diário, Julia vai atrás de sua avó Elsie, a única que ainda está viva e que pode lhe confirmar se aquele objeto realmente pertencia ao seu avô. E assim, através das páginas desse diário e dos relatos de Elsie, somos transportados para outra época, um pouco antes da segunda guerra mundial, onde conhecemos a história do jovem casal, Olivia e Harry Crawford.

O casal se casou pouco antes de Harry ser mandado para guerra, onde tiveram suas vidas afetadas por ela e também por outros diversos acontecimentos. E a história deles, de certa forma, afetava não somente a propriedade de Wharton Park, como também a vida de todos que viviam e trabalhavam ali e também de suas gerações futuras. Durante esta parte da história, também somos transportados para a Tailândia e seus costumes, suas belezas e suas características.

O que posso lhes dizer, é que a habilidade da Lucinda é fantástica, pois, ao mesmo tempo em que ela nos conta a história, ela também nos faz viajar e imaginar cada detalhe, cada descrição com perfeição. Nas páginas desta trama, seremos conduzidos por várias histórias, transitaremos entre o passado e o presente, vivenciaremos a segunda guerra e suas marcas, visitaremos a França, a Inglaterra e Tailândia. A autora ainda nos faz olhar para as flores e enxergá-las de uma forma diferente. Eu já gostava de flores, principalmente as orquídeas, agora então, estou fascinada!

E vocês já devem estar premeditando que o desfecho de toda a história estava no diário, né!? Ah, se enganaram... A trama é cheia de segredos, repleto de paixões, mentiras e muitas reviravoltas. Ela te prende de uma maneira tão extraordinária, que é impossível desgrudar do livro. A Casa das Orquídeas possui tantos sentimentos e emoções, que roubou o meu fôlego e me manteve cativa do começo ao fim. E o melhor de tudo, não deixa nada sem respostas. E, por fim, só posso dizer que esta leitura foi surpreendente!







Sobre a autora:  Lucinda Riley nasceu na Irlanda e, após uma carreira inicial como atriz de cinema, teatro e televisão, escreveu seu primeiro livro aos 24 anos. Suas obras já foram traduzidas para mais de 30 idiomas e venderam 13 milhões de exemplares em todo o mundo. Ela está na lista de autores mais vendidos do The Sunday Times e do The New York Times.

Lucinda atualmente está escrevendo a série As Sete Irmãs, inspirada na mitologia da famosa constelação. Os quatro primeiros livros, As Sete IrmãsA irmã da tempestadeA irmã da sombra e A irmã da pérola, ficaram em primeiro lugar na lista de mais vendidos em toda a Europa, e os direitos para uma série de televisão já foram adquiridos por uma produtora de Hollywood.

Além das Sete Irmãs, a Editora Arqueiro publicou A garota italianaA árvore dos anjos e O segredo de Helena.












Deixe um comentário: